Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já não há água que cubra o ressequido “Sun Moon Lake”, um dos pontos turísticos mais famosos em Taiwan e “espelho” atual da seca que se faz sentir na oficialmente conhecida como República da China.

O The Guardian explica que partes do lago ficaram de tal forma secas que deram origem a relva. As pequenas embarcações estão estranhamente espalhadas pela sua superfície terrestre. Não é o cenário normal numa referência turística que está a ser vítima da pior seca dos últimos 56 anos e que anda a ser fotografada pelos piores motivos. Numa altura em que as torneiras são fechadas duas vezes por semana na ilha, a situação promete agravar-se se não houver resistência à crise climática.

Aqui pode ver o antes e o depois do “Sun Moon Lake”:

O estado deteriorado do conhecido lago foi notícia no início do mês, quando o Global Times, um tabloide chinês, “agarrou-se” à descoberta de uma lápide suspeita de pertencer à dinastia Qing no lago para reivindicar e apoiar a soberania chinesa sobre Taiwan.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Mas, longe de interesses e conflitos, a situação é, realmente, mesmo de alarme na ilha. Outros reservatórios de água no país encontram-se a 5% da sua capacidade, ou menos. Há também relatos de mortes em massa de peixes, situação parecida ao que se tinha verificado nas secas australianas de fevereiro e março.

A dimensão desta seca, que já dura há 18 meses, está a preocupar seriamente os especialistas e está a ameaçar a autossuficiência económica e ecológica de Taiwan. A seriedade da situação poderá levar a que se tomem finalmente medidas reais e efetivas em matérias de ação climática.