Foi um acidente com resultados fatais. Esta sexta-feira, o carro onde seguia o ministro da Administração Interna atropelou mortalmente um cidadão na A6, perto da Azaruja. A notícia foi avançada pelo gabinete de Eduardo Cabrita esta sexta-feira e, ao que o Observador apurou, junto do Comando Territorial de Évora da GNR, a vítima mortal era um homem de 43 anos que procedia a obras de manutenção na estrada. Já num novo comunicado divulgado este sábado, o ministério esclareceu que a viatura em que seguia o ministro “não sofreu qualquer despiste” e que a vítima “atravessou a faixa de rodagem, próxima do separador central, apesar de os trabalhos de limpeza em curso estarem a decorrer na berma da autoestrada“.

O acidente aconteceu perto das 13h00 ao quilómetro 77 da A6, no sentido Estremoz-Lisboa. Para já, a GNR não avança com mais detalhes sobre o acidente, referindo que caberá ao Núcleo de Investigação de Crimes em Acidentes de Viação (NICAV) apurar o que esteve na origem do acidente. O corpo da vítima foi transportado para o gabinete médico-legal de Évora e o troço onde ocorreu o acidente foi condicionado para limpeza da via.

Contrariando a nota do MAI, fonte da GNR assegura que o ministro Eduardo Cabrita não seguia no interior da viatura acidentada, embora esta fizesse parte da sua comitiva. Já motorista será do MAI e não do corpo de segurança pessoal da PSP.

De acordo com o Correio da Manhã, a vítima mortal deixou temporariamente o grupo de trabalho que estava no separador central e atravessou a faixa de rodagem. O motorista do ministro terá sido surpreendido pela presença do homem na via e não conseguiu evitar o atropelamento. Carlos Machado, comandante dos Bombeiros de Estremoz, avançou ao jornal que “o trabalhador foi projetado para a vala”.

Segundo a nota do gabinete do ministro, foi no regresso de uma deslocação oficial a Portalegre, que a viatura sofreu um acidente de viação, do qual resultou a morte, por atropelamento, de um cidadão na autoestrada A6.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O acidente foi participado pela Guarda Nacional Republicana e “será naturalmente investigado, de acordo com os procedimentos em vigor”, acrescenta a nota enviada pelo ministério. No mesmo comunicado, o ministro da Administração Interna lamenta profundamente o sucedido e apresenta sentidas condolências à família enlutada.

MAI esclarece que carro em que ministro seguia “não sofreu qualquer despiste”

Num novo comunicado divulgado este sábado, o gabinete de Eduardo Cabrita deu mais esclarecimentos, perante o que diz ser “informações erróneas divulgadas” sobre o acidente. De acordo com o ministério, a viatura em que seguia o ministro “não sofreu qualquer despiste”, sendo que o carro “circulava na faixa de rodagem, de onde nunca saiu, quando o trabalhador a atravessa”. “O trabalhador atravessou a faixa de rodagem, próxima do separador central, apesar de os trabalhos de limpeza em curso estarem a decorrer na berma da autoestrada“, adianta ainda o ministério.

Segundo o mesmo comunicado, não existia qualquer sinalização de alerta aos condutores para a existência de trabalhos de limpeza no local. “Estando a decorrer uma investigação ao acidente, por parte do Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação de Évora da Guarda Nacional Republicana, quaisquer informações adicionais só poderão ser prestadas nesse âmbito”, acrescenta o gabinete.

Eduardo Cabrita deslocou-se, na manhã desta sexta-feira, ao Centro de Formação de Portalegre da GNR para presidir à Cerimónia do Juramento de Bandeira dos formandos do 43.º Curso de Formação de Guardas da Guarda Nacional Republicana (GNR).