O Presidente francês, Emanuel Macron, afirmou esta sexta-feira, numa conversa telefónica com o homólogo russo, Vladimir Putin, a vontade da França para que se possa instalar uma relação de maior confiança entre a Rússia e a União Europeia (UE).

Segundo noticiou o Palácio do Eliseu, sede da Presidência francesa, Macron destacou também a necessidade de se prolongar um “diálogo estruturado” bilateral sobre a “estabilidade estratégica do continente europeu”.

Cimeira da UE. Líderes aceitam dialogar com Vladimir Putin, mas afastam possibilidade de reunião

O chefe de Estado gaulês realçou também a pertinência do formato da Normandia, um marco da negociação em que a França e a Alemanha atuam como mediadores, para permitir que a Rússia e a Ucrânia “ponham fim ao conflito e encontrem soluções duradouras”.

A Líbia foi outro ponto destacado pela Presidência francesa sobre a conversa entre Macron e Putin, com Macron a instar a Rússia a respeitar os acordos que “devem permitir a saída das milícias e tropas estrangeiras” de território líbia. A presença de mercenários estrangeiros na Líbia ou um desarmamento falhado das milícias ameaçam os novos esforços de paz em curso, realçou Macron.