O Paquistão encerrou esta quarta-feira o posto fronteiriço de Chaman, após o lado afegão da passagem, em Weish, ter sido tomado durante a noite pelos talibãs, no âmbito da sua ofensiva contra as forças de Cabul.

O portão não foi aberto esta manhã para as pessoas passarem“, disse Gul Khan, um oficial de segurança do posto fronteiriço de Chaman, na província do Baluchistão (sudoeste), à agência noticiosa espanhola EFE.

Khan indicou que os talibãs assumiram o controlo da passagem no lado afegão durante a noite de terça-feira para esta quarta-feira, adiantando desconhecer quando será reaberto o posto fronteiriço de Chaman. “O governo terá de decidir”, disse. “Podemos ver as posições dos talibãs do outro lado da fronteira”, referiu Khan.

Chaman, situado a 11 quilómetros de Quetta, a capital do Baluchistão, é um dos quatro postos fronteiriços entre o Paquistão e o Afeganistão. Juntamente com o de Torkham é um dos mais importantes para a passagem de pessoas entre os dois países.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em relação ao Afeganistão, Weish é uma das nove passagens fronteiriças do país com os seus vizinhos. Com a sua captura, pelo menos cinco destes postos estão sob controlo da formação rebelde, segundo a EFE.

Um funcionário local da administração afegã de Kandahar, província onde se localiza o posto de Weish, disse à EFE que as forças de segurança estão a preparar um contra-ataque para o recuperar. Os talibãs lançaram uma grande ofensiva depois das forças norte-americanas e da NATO terem iniciado a retirada final do Afeganistão, a 1 de maio. Os rebeldes já capturaram vastas zonas de território rural e cercaram algumas capitais de província.