Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O acesso ao grau mais elevado da carreira no ensino superior vai sofrer alterações. O novo regime deixará de depender do concurso e passará a ser fundamentado no mérito avança o jornal Público na edição desta quarta-feira.

Esta revisão ao estatuto de carreira, que ainda está a ser discutida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, poderá ser feita até ao final de 2022 — altura em que termina a atual legislatura — acompanhada por outras mudanças no setor.

O propósito desta alteração é distinguir os processos de progressão na carreira dos relacionados com o recrutamento de novos docentes. A entrada na carreira continuará a ser feita por concurso público internacional, mas a elevação às categorias intermédia e superior deverá passar a ser permitida aos que obtiverem melhor avaliação de desempenho. Atualmente, a instituição tem sempre de abrir um concurso público.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR