533kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 32.99/mês aqui.

Beyoncé, Jay Z, um Basquiat e um diamante eternizado por Audrey Hepburn: a nova campanha da Tiffany & Co.

Este artigo tem mais de 1 ano

O diamante amarelo é uma das peças icónicas da marca e esta é a primeira vez que aparece numa campanha publicitária. Beyoncé é assim a 4.ª mulher no mundo a usar a joia. Conheça a sua história.

A campanha com os Carters será lançada a 15 de setembro pela Tiffany & Co.
i

A campanha com os Carters será lançada a 15 de setembro pela Tiffany & Co.

A campanha com os Carters será lançada a 15 de setembro pela Tiffany & Co.

O casal está bem e recomenda-se, sobretudo na hora de protagonizarem a próxima campanha da Tiffany & Co.. Em “About Love”, Beyoncé e Jay Z surgem irrepreensíveis em trajes de gala para aquela que é a primeira imagem divulgada da campanha, mas não estão sozinhos: há um quadro Basquiat nunca antes visto e, caso dúvidas restassem sobre a marca para a qual estão a dar a cara, a cantora surge com um colar com o aclamado The Tiffany Diamond, tornando-se a quarta mulher no mundo a fazer brilhar ainda mais esta pedra preciosa. Foi usada apenas por outras quatro mulheres — uma delas foi Audrey Hepburn, cujas semelhanças à caraterização de Beyoncé são evidentes.

É difícil dar o protagonismo a uma joia quando quem a usa é Beyoncé, mas não é uma joia qualquer, é o The Tiffany Diamond que, segundo a própria marca “não tem preço”, e que volta a ser protagonista desta vez numa campanha publicitária. A primeira mulher a usar a pedra foi a socialite E. Sheldon Whitehouse, em 1957, no Tiffany Feather Ball, em Newport, Rhode Island. Depois, em 1961, a peça foi repensada e reajustada no colar Ribbon Rosette de Jean Schlumberger, um dos joalheiros mais famosos do século XX que já foi vice-presidente da Tiffany & Co, para ser usado por Audrey Hepburn em fotos publicitárias para o filme “Breakfast at Tiffany’s”.

Audrey Hepburn usou o diamante em "Breakfast at Tiffany's" e Lady Gaga na cerimónia dos Oscars ©DESIGN BY MICHAEL STILLWELL/GETTY IMAGES

DESIGN BY MICHAEL STILLWELL/GETTY IMAGES

Lady Gaga foi a terceira mulher a usar a pedra preciosa na 91.ª edição dos Oscars, e levou-o ao palco da cerimónia para aceitar o Óscar de melhor canção original com “Shallow”.

O Tiffany Diamond é um dos maiores e mais finos diamantes amarelos, mas a sua história começou ainda em 1877 quando a pedra em bruto, de 287.42 quilates, foi descoberta nas minas de Kimberley na África do Sul. No ano seguinte, Charles Lewis Tiffany consolidou a sua reputação de “Rei dos Diamantes” quando comprou a peça por 18 mil dólares. O diamante em bruto foi levado para Paris onde o gemólogo da marca, George Frederick Kunz, foi responsável pelo corte da pedra no formato que se conhece hoje — uma forma de almofada com 128.54 quilates, 82 faces, mais 24 faces que o habitual corte de diamante de 58.

Além dos pescoços destas quatro estrelas mundiais, o diamante já foi também ele estrela em várias exposições premiadas pelo mundo como foi o caso da “World’s Columbian Exposition”, em 1983 em Chicago, ou a “World’s Fair” de 1939-40 em Nova Iorque. Já brilhou em vitrines de outras mostras como a da “Bejewelled by Tiffany”, em 2006 na Somerset House, em Londres, e numa exposição que celebrou a National Gem Collection no Smithsonian’s National Museum of Natural History.

Um Basquiat e um “Breakfast at Tiffany’s” 2.0

Na imagem, Beyoncé aparece impecavelmente arranjada, com um vestido preto longo e colado ao corpo, com alguma cauda, e luvas de tule preto. É inegável a comparação da imagem da cantora, que aparece com o cabelo num coque perfeito no cimo da cabeça — da autoria de Jawara Wauchope e Nakia Rachon —, com a de Hepburn quando interpretou a icónica Holly Golightly em “Breakfast at Tiffany’s”. A maquilhagem é subtil mas não foi esquecido o eyeliner rasgado para um look mais dramático. Além do colar, a cantora de “Formation” enverga também um anel de diamante amarelo com 22 quilates.

Jay-Z, sentado numa poltrona, aparece com um smoking preto, que complementa o vestido de Beyoncé, e também ele com as joias a que tem direito. A pregadeira Bird on a Rock de Jean Schlumberger foi reformulada num par de botões de punho únicos para o rapper usar na campanha. Além disso, usa também o alfinete Apollo em platina, ouro amarelo e diamantes, bem como uma série de outras peças da marca, incluindo um dos seus novos anéis de noivado para homens, refere a Vogue americana.

Uma das imagens partilhadas por Beyoncé no Instagram ©Mason Poole

“Beyoncé e Jay-Z são a epítome da história de amor moderna”, disse Alexandre Arnault, vice-presidente executivo da Product & Communications, num comunicado citado pela Vogue. “Como uma marca que sempre representou amor, força e autoexpressão, não poderíamos pensar num casal mais icónico que melhor representa os valores da Tiffany. Estamos honrados por ter os Carters como parte da família Tiffany”.

“About Love” marca o início de uma nova era na marca de joias que tem desde março Ruba Abu-Nimah como diretora criativa. A campanha foi fotografada por Mason Poole e pensada por June Ambrose e Marni Senofonte, e cujo anúncio esteve nas mãos do realizador Emmanuel Adjei, que co-realizou “Black is King”, o álbum visual da cantora lançado em 2020. A campanha deverá ser lançada na íntegra a 15 de setembro.

O facto de ter sido idealizada em conjunto com o casal não é por acaso, já que a Tiffany vai doar dois milhões de dólares a faculdades e universidades historicamente negras, respondendo à já longa luta pela comunidade que Jay Z e Beyoncé têm sido protagonistas.

O filme criado para a campanha terá ainda Beyoncé a cantar uma nova versão de “Moon River”, originalmente cantada por Hepburn, numa clara homenagem, mais uma vez, a “Breakfast at Tiffany’s”

Não bastava um diamante com tamanhos quilates e ter Jay Z e Beyoncé numa campanha, a marca foi mais longe e quis que as atenções estivessem em todos os pontos deste cenário publicitário perfeitamente encetado. Para tal, adquiriu recentemente uma obra nunca antes vista de Jean-Michel Basquiat, datada de 1982 e intitulada “Equals Pi”, depois de o quadro ter estado desde o início dos anos 80 nas mãos de um colecionador privado. Só mais um detalhe: o quadro surge no icónico “azul Tiffany”.

“Como podem ver, não há azul Tiffany na campanha para além do quadro”, disse Arnault numa apresentação por Zoom, aqui citado pela WWD. A obra de arte acabará por se instalar permanentemente na boutique Tiffany da 5th Avenue, em Nova Iorque, atualmente a ser renovada. “É uma forma de modernizar o azul da Tiffany”, disse.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.