Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma explosão forte que atingiu esta sexta-feira uma mesquita xiita afegã em Kandahar. Houve registo de pelo menos 47 vítimas mortais e mais de 80 feridos. O ataque foi reivindicado pela fação afegã dos Estado Islâmico (ISIS-K), avança o The Guardian.

Segundo noticiam a BBC e a agência de notícias russa Sputnik, as baixas “pesadas” ocorreram na sequência de uma explosão que aconteceu na cidade de Kandahar. A Al Jazeera cita fontes dos hospitais, que, asseguram, estarão “inundados” de pacientes.

“Foi durante uma reza quando o som de três a quatro disparos se ouviu. Depois houve uma explosão”, relata a testemunha Basir Ahmadi ao The Guardian.

Este ataque é visto como uma afronta aos talibãs, uma vez que ocorreu nos dos pontos que sempre havia sido controlados pelo grupo — Kandahar —, que normalmente não é palco de violência contra a minoria xiita.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A France Presse detalha ainda de que o ataque terá mesmo sido provocado por um bombista suicida.

Kandahar, a segunda maior cidade do país, ficou sob controlo dos talibã a 13 de agosto, recorda a BBC.

Inimigos dos talibãs, mais radicais e com o sonho de impor um califado no Afeganistão. O que é o ISIS-K, a fação afegã do Daesh?

A explosão acontece apenas uma semana depois de uma outra, reivindicada pelo ISIS-K, ter matado dezenas de pessoas e ferido mais de uma centena numa mesquita na província de Kunduz, no norte do país.