Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Abriu-se esta sexta-feira uma nova boca eruptiva no vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, a sudeste do cone principal, na zona de La Mancha, informa o El Mundo. Este novo foco está, por agora, a emitir apenas uma densa nuvem de fumo, cinzas e pedras — e ainda não há sinais de lava.

“É um processo normal” no seio do “complexo processo eruptivo”, assegurou Rubén Fernández, diretor técnico do Plano de Emergências Vulcânicas das Canárias, que apelou a que a população se mantenha calma.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nas últimas horas, os cientistas indicaram que o vulcão tem emitido mais lava, apesar de uma redução do material explosivo que o vulcão expulsa. Segundo o que Rubén Férnandez explicou ao El País, isto significa que as bocas do Cumbre Vieja emitem rios de lava com uma corrente mais forte, o que vai provocando variações na morfologia do próprio vulcão. “Os rios de lava não respeitam a dinâmica de um fluído: o seu movimento é mais difícil de avaliar”.

Para a próxima semana, os cientistas preveem que a qualidade do ar em La Palma decaia, devido a uma massa de ar com poeiras do deserto do Saara.

Na quinta-feira, o cone principal do vulcão começou a emitir um rio de lava mais intenso, formando um “tsunami de lava”. Vários especialistas temem que estas movimentações signifiquem que a erupção do vulcão esteja longe de terminar, estimando que possa durar meses.

Os terramotos registados nas últimas horas também são um sinal que mostram que a atividade do vulcão não deverá para tão cedo. Ainda esta sexta-feira foi registado um novo sismo de 4,5 graus na escala de Ritchter na ilha de La Palma, igualando, em intensidade, o sismo da última quinta-feira.

La Palma volta a registar sismo de 4,5 graus de intensidade

No total, a erupção do Cumbre Vieja, que começou em 19 de setembro, já provocou a retirada de cerca de sete mil pessoas, algumas das quais perderam tudo o que tinham à passagem da corrente de lava.

Um total de 60 sismos foram registados na ilha de La Palma desde as 00 horas desta quinta-feira, um deles de 4,5 graus, o maior sentido até agora desde que a erupção do vulcão começou, há 26 dias.