O presidente do Tribunal de Contas (TdC) português enalteceu esta sexta-feira os benefícios de o português passar a ser língua oficial da Organização Mundial dos Tribunais de Contas (Intosai), principalmente para os organismos dos países lusófonos.

José Tavares falava à agência Lusa a propósito da proposta aprovada quinta-feira, em Lisboa, pela organização das Instituições Superiores de Controle (ISC) da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), de propor o português como língua oficial da Organização Mundial dos Tribunais de Contas.

Português aprovado como língua oficial dos tribunais de contas da CPLP

A proposta foi aprovada durante a XXI assembleia geral da ISC da CPLP e deverá ser analisada e votada durante o congresso mundial dos tribunais de contas, que se realiza em novembro do próximo ano.

Os milhares de documentos que são produzidos no âmbito da Organização Mundial dos Tribunais de Contas serão traduzidos para a língua portuguesa, ficando disponíveis aos milhares de auditores dos países da língua portuguesa”, disse José Tavares.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O português, que atualmente é língua de trabalho da Intosai, passará assim, se a proposta for aprovada, a língua oficial dessa organização, o que significa que “nas reuniões e congressos dos tribunais de contas haverá interpretação na língua portuguesa“, cuja despesa será suportada pela organização.

O presidente do TdC português identifica muitos benefícios para os auditores com esta medida que irá melhorar “a comunicação dos tribunais de contas da CPLP com os tribunais de contas de todo o mundo”.

O TdC do Brasil e o de Portugal são atualmente membros do conselho diretivo da Intosai. No próximo ano, será o TdC do Brasil a assumir a presidência da organização mundial.