Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O realizador e um membro da produção de “Rust” não têm a certeza de que a arma disparada por Alec Baldwin tenha sido verificada no intervalo das filmagens. Segundo depoimentos usados para justificar um pedido de mandato de busca, divulgados pelo The Wall Street Journal e pelo The New York Times, as filmagens estavam atrasadas no dia em que se deu o acidente que provocou a morte da diretora de fotografia, Halyna Hutchins.

Joel Souza, que ficou ferido no acidente, contou às autoridades que um operador de câmara se tinha demitido, o que fez com que fosse necessário procurar um substituto, o que provocou alguns atrasos. O realizador disse que a equipa se tinha preparado para filmar a cena em questão antes de almoço, tendo feito um intervalo por volta das 12h30. Souza não soube dizer se a arma, que tinha sido utilizada nos ensaios, foi verificada, porque se tinha ausentado para almoçar.

Da Ucrânia para Hollywood: Halyna Hutchins, a diretora de fotografia cuja vida e carreira promissora acabaram com um tiro acidental

Reid Russell, um membro da equipa também ouvido pelo gabinete do xerife de Santa Fe, no estado norte-americano do Novo México, disse ter-se afastado do cenário quando o realizador, Baldwin e Hutchings prepararam a cena do disparo, não lhe sendo por isso possível confirmar se a arma tinha sido ou não testada. Russell garantiu que o ator sempre teve muito cuidado ao mexer com armas, procurando até garantir que uma criança fosse retirada do cenário numa filmagem anterior.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O membro da equipa de “Rust” adiantou ainda que a produção estava a ter problemas com pagamentos e alojamentos, o que levou a que seis operadores de câmara abandonassem as filmagens.

Os depoimentos de Joel Souza e Reid Russell acrescentam alguns pormenores aos acontecimentos que levaram à morte de Halyna Hutchins, de 42 anos, após ter sido atingida pelos disparos da arma de adereço usada pelo ator Alec Baldwin, que deveria ter apenas pólvora seca. As autoridades ainda não conseguiram determinar que tipo de projétil foi usado.

Este fim de semana, vieram a público depoimentos de uma fabricante de adereços, que revelou à NBC que o assistente de realização que passou a arma a Baldwin terá historial de inseguras durante outras produções. No início, parecia ser um assistente de realização mais velho e afável com a habitual série de idiossincrasias, mas essa fachada desapareceu logo”, contou Maggie Goll.

Souza contou aos investigadores que as armas usadas no filme eram primeiro verificadas pela armeira Hannah Gutierrez-Reed e depois por Dave Halls, que as entregava aos atores.

Assistente que entregou arma a Alec Baldwin já teria antecedentes de práticas inseguras no set de filmagem

Alec Baldwin estava a ensaiar uma cena quando arma disparou

No mesmo depoimento, Joel Souza revelou que Alec Baldwin estava a ensaiar uma cena que envolvia apontar a arma na direção da lente da câmara de filmar quando esta disparou de repente, atingindo a diretora de fotografia.

O realizador, que estava ao lado Halyna Hutchins a ver “o ângulo da câmara”, disse ter ouvido “um som que parecia um chicote”, reparando depois que estava a sangrar do ombro, onde foi ferido. Viu Hutchins agarrar-se ao peito e começar a caminhar para trás. Reid Russell afirmou lembrar-se de ver sangue no realizador e de ouvir a diretora de fotografia a dizer que não conseguia sentir as pernas.

Artigo atualizado às 10h56