Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em atualização

A história tem contornos insólitos mas, no final, acaba até por ferir um dos pilares nos quais estava assente o controlo a nível de testagem à Covid-19 no Open da Austrália: Bernard Tomic, australiano que a meio do seu jogo do qualifying com Roman Safiullin chegou a apostar com a própria árbitra que estaria infetado com o novo coronavírus, testou positivo esta quinta-feira ao novo coronavírus, avança o The Age.

“C’mon”, disse Tomic sobre a ausência de testagens no Open da Austrália. E apostou jantar com a árbitra em como vai ter Covid-19

De recordar que, na segunda-feira, o jogador de 29 anos que chegou a estar no top 20 do ranking mundial teve esse desabafo com a juíza brasileira Aline Da Rocha Nocinto durante o segundo set, quando sentia que o seu corpo não estava a reagir como habitual. A certa altura, perante a apatia do jogador, as paragens para medir a pulsação e a forma como se arrastava no court, foi o próprio adversário russo a perguntar se podia ajudar de alguma forma Tomic, que saiu derrotado por 6-1 e 6-4 em menos de uma hora.

Estou convencido de que em três dias vou testar positivo [à Covid-19]. Se não testar pago-te o jantar, de outra forma pagas tu. Não acredito que ninguém está a ser testado. Estão a deixar os jogadores entrarem em campo com testes rápidos que fazem no quarto. C’mon [sic] não há testagem oficial com testes PCR…”, atirou para a árbitra do jogo a meio do segundo set.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Estou de volta ao hotel, sinto-me realmente doente. Acabei de falar com os médicos aqui e pediram para me isolar. Ainda não me trataram para evitar o contacto”, tinha destacado o australiano após o encontro, agradecendo também todo o apoio recebido por mensagens e durante o encontro.

“Ainda me sinto doente agora. Sinto-me pior em termos mentais do que físicos porque estava motivado como nunca para ter um grande regresso e mostrar ao público australiano que posso ser o jogador de ténis que esperam que seja. Estou desapontado porque o vírus não me permitiu que isso acontecesse. Pela forma como me sentia, não consegui dar tudo. Por mais que tentasse, não tinha forças para lutar. Agora vou continuar a fazer tudo para lutar para voltar ao topo”, comentou ao The Age após o resultado.