1. O que é o Impact Hub Lisbon?

  2. Nota prévia: este Explicador foi construído com base na entrevista realizada a Filipe Portela, líder da equipa de implementação do Impact Hub em Lisboa.

    O Impact Hub é uma rede global que se assume enquanto laboratório de inovação, incubador de negócios e centro comunitário. De Amesterdão a Joanesburgo, de Singapura a São Francisco, este projeto já se encontra em 80 cidades, 50 países e com 15 mil entidades envolvidas. A rede Impact Hub oferece aos seus membros um ecossistema único de recursos (pessoas, espaços e programas), inspiração e oportunidades de colaboração para a criação e o crescimento de negócios de impacto.

    O Impact Hub é onde a mudança acontece. Acreditamos que um mundo melhor começa em nós próprios e que o mesmo pode ser alcançado através de uma combinação de indivíduos e entidades comprometidos, criativos e focados numa causa comum.

  3. Onde se vai localizar?

  4. As instalações do Impact Hub serão na Rua Primeiro de Maio 101, 1300-472 Lisboa, dentro das instalações do Museu da Carris (em Alcântara). Localizado junto ao LX Factory e Village Underground, estamos a contribuir para a criação de um espaço que alia modernidade e criatividade onde se podem encontrar grandes histórias e as melhores ideias.

  5. Quais os objetivos da iniciativa?

  6. Destacamos dois grandes objetivos para a abertura desta iniciativa em Portugal:

    1. Existem já bastantes iniciativas que apoiam e transformam ideias em negócios sociais/impacto mas são muito poucas as que permitem o crescimento/internacionalização desses mesmos negócios. Com o Impact Hub Lisbon, pretendemos oferecer esses serviços/programas que possibilitem o desenvolvimento de mais e melhores negócios sociais em Portugal e o seu crescimento a nível internacional.

    2. Servir de plataforma de entrada em Portugal a iniciativas sociais internacionais e de porta de saída a negócios com impacto mundial.

  7. Quais os parceiros desta iniciativa em Portugal?

  8. Os principais parceiros desta iniciativa são o Montepio e a Sociedade de Advogados VdA (Vieira da Almeida), que desde muito cedo partilharam da visão e se juntaram ao projeto.

    O Montepio é, desde logo, um parceiro incontornável porque o apoio à Economia Social está no seu ADN e assume-se como sendo o Banco da Economia Social.

    O Impact Hub é, na construção do ecossistema de empreendedorismo social e de impacto, um projeto estratégico que reforça a ligação e a proximidade do Montepio à comunidade de empreendedores de impacto, que assentará em duas vertentes: na participação ativa em diferentes fases dos projetos, como júri de ideias, mentor de projetos e na promoção do co-work e o networking, bem como potencial Investidor Social.

    Outros parceiros também contribuíram para o projeto como, o Laboratório de Investimento Social, o IES-Social Business School, a Nova-SBE, o ISEG, a Fundação AGEAS entre outros.

  9. Quando é que o Impact Hub arranca em Lisboa?

  10. O Impact Hub já está a funcionar em Lisboa, oficialmente desde 14 de novembro 2016, embora ainda num espaço piloto, na Rua da Imprensa Nacional 34, no Príncipe Real. Em abril, faremos todos a mudança para o novo espaço em Alcântara.

  11. Qual é o valor de investimento do Impact Hub Lisbon?

  12. Em termos monetários, o valor de investimento é de cerca de 200 mil euros até à data de abertura do espaço em Alcântara, proveniente de capitais próprios, serviços vendidos e patrocínios. Contudo podemos ainda apontar outros dados: cerca de 20 mil horas investidas, 3 mil cafés, 750 reuniões e 500 almoços.

  13. De que forma é que esta iniciativa pretende criar impacto no país?

  14. Este projeto pretende criar impacto em termos sociais e económicos, aproveitando e reciclando o dinamismo e o capital humano existente, isto é, criando, crescendo e internacionalizando os melhores negócios de impacto social. E os melhores negócios de impacto são os que detêm a melhor utilização ao nível de recursos e os que criam maior impacto, contribuindo para a melhoria da sociedade (melhores negócios de impacto = melhor utilização de recursos = mais impacto = melhor sociedade).

  15. Quais são os outros países onde o Impact Hub está implementado?

  16. O Impact Hub está implementado numa rede alargada de países distribuídos pelos vários continentes.

    Na Europa: Espanha; Reino-Unido; Holanda; Suíça; Itália; Alemanha; Áustria; República Checa; Hungria; Eslováquia; Roménia; Sérvia; Croácia; Grécia; Turquia: Rússia: Arménia; Noruega; Finlândia.

    Na América: EUA – Havai; México; Guatemala; República Dominica; Venezuela; Colômbia; Brasil.

    Em África: Mali; Gana; Ruanda; Zimbabué; Joanesburgo; Sudão.

    Na Ásia: Malásia; Filipinas; Taiwan; Camboja; Japão.

    No Médio-Oriente: Israel; Emirados Árabes Unidos.

  17. Quantas startups e quantos profissionais, no total, podem integrar o Impact Hub Lisbon?

  18. Fisicamente, teremos espaço para aproximadamente 150 pessoas (divididos entre cowork e escritórios privados), um espaço dedicado a eventos e ainda salas de reunião/trabalho. Como muito do trabalho desenvolvido pelo Impact Hub pode ser realizado virtualmente, podemos englobar centenas/milhares de entidades e empreendedores que estão na nossa rede mas não fisicamente connosco. Já iniciámos também as negociações para incluirmos uma escola dentro das instalações, num formato totalmente diferente do tradicional.

  19. Tenho uma startup. Posso candidatar-me? Como?

  20. Qualquer pessoa/empresa/entidade (pública ou privada) pode fazer parte da rede do Impact Hub Lisbon, desde que partilhe dos nossos valores e cultura. Se tal critério for cumprido, poderá entrar em contacto connosco. Após este primeiro contacto, fazemos um diagnóstico profundo e analisamos qual o melhor caminho para contribuir para o futuro e sucesso da iniciativa em questão: seja através de um programa de incubação, de investimento, de parceria, formação, entre outros.

  21. Quais as vantagens / benefícios de fazer parte do Impact Hub Lisbon?

  22. O Impact Hub é uma rede nacional e internacional de recursos, programas e parceiros que poderão apresentar-se enquanto potenciais investidores dos projetos. Com uma experiência de 12 anos, as equipas têm um espaço de trabalho onde quer que exista um Impact Hub, tendo disponíveis programas, eventos e formação à medida das suas necessidades. As 15.000 entidades que completam a comunidade e a compatibilidade de visão e objetivos com o conceito são outras vantagens.

  23. Quanto custará a uma empresa ter um hub e quantas pessoas podem integrá-lo?

  24. Qualquer pessoa pode fazer parte da comunidade Impact Hub Lisbon a partir de 50 euros por mês. Uma empresa que pretenda ter um Hub privado (com 3-4 pessoas) poderá fazê-lo a partir de 380 euros por mês.

  25. Que eventos paralelos a esta iniciativa serão organizados em breve?

  26. Há vários eventos a decorrer por semana (aproximadamente três). A melhor forma de os acompanhar a todos é na nossa página Meetup, ou seguir-nos no Facebook. De todos os eventos/programas que se aproximam, destacamos os seguintes:

    Impact Generator: Aceleradora de Negócios de Impacto.

    UNInflux Global Hackathon: Hackathon a nível global sobre três dos 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

    OpenDay: Oportunidade para qualquer pessoa/entidade experienciar a dinâmica Impact Hub gratuitamente durante um dia.

  27. A iniciativa em Portugal e no mundo. Que sinergias podem daí resultar?

  28. Acreditamos que Portugal está estrategicamente posicionado no mapa, quer em termos geográficos, quer em termos de inovação e qualidade do capital humano.

    No Impact Hub Lisbon, queremos alavancar ambas as perspetivas: em termos geográficos, achamos que temos todas as condições para ser um Hub de ligação entre as Américas e a Europa/África. Estamos inclusive já em conversas para criar um “super-Hub” Ibérico de forma a atrairmos “super-projetos” para a região.

    Em termos de inovação, acreditamos que Portugal tem todas as condições e a qualidade necessária para ser uma referência a nível mundial nos negócios de impacto, e é isso que estamos a promover e reforçar nos vários encontros internacionais.

    De referir também que, em apenas dois meses de funcionamento, já tivemos visitas de investidores, entidades e empreendedores dos EUA, Alemanha, Reino-Unido, República Checa, Brasil e Colômbia. Neste momento, além dos portugueses, temos também iniciativas e empreendedores da Suíça, Alemanha, Brasil e Colômbia.

  29. O que diferencia o Impact Hub de outras iniciativas semelhantes?

  30. Reitero a resposta da pergunta 11, com especial enfoque no conceito de rede/comunidade e na compatibilidade de visão e objetivos. O Impact Hub Lisbon não é um negócio de aluguer de m2 e o nosso sucesso está intrinsecamente ligado ao sucesso dos negócios, iniciativas e programas que apoiamos.

  31. O Impact Hub pode vir a ser alargado a outras cidades portuguesas? Quando?

  32. É nosso objetivo que tal aconteça. De momento já temos uma pequena equipa a preparar a abertura de um 2º espaço no Porto previsto para 2018 e, gostaríamos ainda, de ter um terceiro espaço em Portugal, mas desta vez numa região do interior.