Uma publicação com mais de 15 mil partilhas divulgada a 20 de fevereiro afirma que a fotografia de uma fissura num solo árido é a Falha Geológica de Santo André, no estado norte-americano da Califórnia. Mas é falso: na verdade, a fotografia é de uma fissura no Parque Nacional de Canyonlands, no estado de Utah, a 800 quilómetros da Califórnia.

A Falha de Santo André é uma gigantesca falha em que duas placas tectónicas — a Placa do Pacífico e a Placa da América do Norte — friccionam uma na outra, resultando em sismos de elevada magnitude. A descrição da fotografia indica que a falha tem uma extensão de 1.200 quilómetros, o que se confirma. No entanto, não tem 32 quilómetros de profundidade, mas sim metade disso.

De resto, e apesar de impressionante, a fotografia não mostra a Falha de Santo André, mas sim uma fratura junto à White Rim Trail (uma trilha no parque nacional do Utah) que é popularmente chamada “Black Crack” — em português, “Fratura Negra”. Uma publicação feita em junho de 2012 pelo próprio parque no Facebook mostra precisamente a mesma fratura, identificando-a com esse nome.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nessa publicação, o parque explica a origem da “Black Crack”: a fratura surgiu numa rocha, neste caso o arenito, e foi-se expandido por ação da passagem da água, da sua solidificação quando as temperaturas baixam ou da libertação de pressão durante um processo de erosão. Ao contrário do que acontece numa falha, os dois lados da fratura não se movem um em relação ao outro. No entanto, a fratura vai aumentando por causa das agressões naturais que sofre.

A fratura na imagem é, na verdade, muito mais pequena que a Falha de Santo André: uma outra publicação do Parque Nacional de Canyonlands indica que a “Black Crack” tem apenas 19,8 metros de profundidade e perto de um metro de largura. Já a Falha de Santo André chega aos 16 quilómetros de profundidade mas, como se trata de uma falha transformante, em que os dois lados roçam um no outro, não tem a mesma brecha profunda para o abismo que a fratura no Utah demonstra.

Conclusão

É falso que a fotografia na imagem se trate da Falha de Santo André, na Califórnia. É, isso sim, uma fratura rochosa num parque nacional no Utah que aumentou ao longo do tempo graças à erosão dos elementos naturais, como a água, chamada “Black Crack”. A Falha de Santo André é transformante, ou seja, os dois lados roçam um no outro e não estão separados, por isso não se observa a brecha negra que caracteriza a fratura no Utah.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

De acordo com a classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

IFCN Badge