Desde o início do ano que circula nas redes sociais que Greta Thunberg terá pedido aos chineses que parassem de usar os tradicionais pauzinhos para comer, salvando assim centenas de árvores. Esta informação, que tem sido partilhada por utilizadores de diferentes países e em várias línguas (pelo menos, em português, inglês, alemão e dinamarquês), refere que o governo chinês terá, em resposta, aconselhado a jovem ativista a regressar à escola, onde aprenderia que os pauzinhos “são feitos de bambu, e que o bambu é uma planta não uma árvore”. Os chineses terão ainda convidado Greta a parar de usar papel higiénico, uma vez que é “feito de madeira”.

Um dos posts em português que circula sobre Greta e os pauzinhos

Circula ainda no Facebook uma outra versão, que diz que Greta terá declarado a mesma coisa ao governo japonês. De acordo com a Reuters, a alegação de que a ativista terá pedido o fim dos pauzinhos a chineses e japoneses surgiu nas redes sociais em janeiro deste ano. A agência de notícias encontrou um tweet de um utilizador aparentemente norte-americano, datado de 15 de janeiro, que refere que “Greta disse para não usarmos pauzinhos. Porque é um símbolo da destruição ambiental”, sem porém mencionar a China ou o Japão.

Será alguma destas ideias verdadeira? A resposta é não. Não existe qualquer registo de Greta Thunberg ter feito estas ou outras declarações semelhantes. As alegadas sugestões da jovem sueca só existem nas redes sociais, em publicações deste tipo, e em nenhum momento se vê ou lê uma declaração diretamente vinda da ativista sueca com estas informações.

Segundo a Reuters, a informação falsa que circula no Facebook poderá ter tido origem numa notícia da agência de notícias japonesa Kyodo News. Em declarações à agência de notícias japonesa, a 3 de janeiro, Greta disse que gostaria de visitar a China, porque é um país onde nunca esteve, “mas também outros lugares”, como o Japão. Durante a entrevista, a ativista não fez qualquer menção aos pauzinhos que tanto aparecem nas publicações disseminadas pelas redes sociais.

[A entrevista de Greta Thunberg à Kyodo News:]

De acordo com o site dinamarquês de fact checks TjekDet, citado pela Reuters, alguns dias depois destas declarações, a 15 de janeiro, apareceu online um artigo chinês com a alegada sugestão de Greta em relação aos pauzinhos, alertando que ativista ia viajar até à China. O fact check dinamarquês também desmente que estas declarações sejam verdadeiras

Conlusão

Não existem indícios de que Greta Thunberg tenha pedido aos chineses (ou aos japoneses, como alega uma outra versão da mesma informação) para pararem de usar pauzinhos, salvando assim centenas de árvores. As alegadas declarações da ativista sueca só existem nas redes sociais, o Observador não conseguiu encontrar em lado nenhum tais afirmações. O site de fact checks dinamarquês TjekDet, citado pela Reuters, também concluiu que as partilhas eram falsas: não há registo de a ativista sueca ter alguma vez transmitido essa ideia.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

De acordo com o sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook.

IFCN Badge