Tal como o Coronavírus surgiu numa cidade na China e se está a propagar rapidamente por todo o mundo, também as suas Fintech – empresas financeiras assentes em tecnologia – se estão a expandir a um ritmo alucinante, inicialmente no mercado interno e cada vez mais nos mercados internacionais.

Apesar de os Estados Unidos da América possuírem 33 Unicórnios de Fintech, a Europa 9 e a China 12, o valor dos Unicórnios chineses representa mais do dobro do valor dos unicórnios dos EUA e da Europa juntos. Só a Ant Financial está avaliada em 136 Biliões de euros, o que é equivalente a cerca de 50 vezes a capitalização bolsista do Millennium BCP.

A grande vantagem competitiva das Fintechs Chinesas advém do mercado interno gigantesco. De acordo com dados da CB Insights, o mercado de pagamentos móveis representa mais de 27 triliões de dólares e é dividido entre a Alipay da Ant Financial com uma quota de mercado de 54% e a WeChat pay da Tencent com uma quota de mercado de 38% Cada uma delas conta com cerca de 1 bilião de Clientes e, se inicialmente se dedicavam apenas a pagamentos, hoje possuem várias empresas especializadas nas mais diversas áreas do sector financeiro. E a dimensão dá vantagens competitivas na nova economia de Dados, o conhecimento e a capacidade de desenvolver modelos preditivos é algo que se autoalimenta – basta ver a qualidade da pesquisa da Google que é tanto melhor quanto a quantidade de pessoas que a usam.

O facto de a China estar a saltar várias etapas de desenvolvimento, em que uma grande parte da sua população não estava bancarizada, permitiu a estas empresas uma expansão rápida, pois bastava ter um telemóvel para se poder ter uma conta de pagamentos. Também o facto de os serviços de pagamentos estarem incorporados nos vários serviços utilizados pelos cidadãos chineses no seu dia-a-dia, seja a fazer compras online nos sites da Alibaba, a enviar mensagens no WeChat, ou a fazer compras no supermercado com pagamento facial, faz com que a capacidade de ganhar quota na satisfação das necessidades financeiras dos clientes seja quase irresistível.

É interessante referir como exemplo o fundo Yu’e Bao da Ant Financial que foi lançado em 2013 como fundo de mercado monetário para oferecer alguma remuneração aos trocados que iam ficando nas carteiras dos Clientes da Alipay e que no espaço de apenas 7 meses conseguiu conquistar 43 milhões de Clientes e ao fim de 4 anos alcançou o pódio do maior fundo de mercado monetário gerindo 1,2 triliões de Yuan o equivalente a 157 biliões de euros de mais de 300 milhões de Clientes

Outro exemplo interessante, é a oferta de micro linhas de crédito virtuais pela Huabei da Ant Financial que oferece crédito a partir de 50 yuans o equivalente a 6,55€. Isto permite criar um histórico de crédito de milhões de pessoas, de uma forma relativamente barata,

A expansão internacional está a ser feita principalmente no Sudoeste Asiática, mas também noutros países, quer através de parcerias, como a da Alipay com o Millennium BCP que permite aos turistas chineses fazerem compras em Portugal utilizando a sua conta Alipay, quer através de aquisições como a da WorldFirst por 550 milhões de Libras, depois de terem falhado a aquisição da MoneyGram que foi bloqueada pelo Governo Americano.

A expansão das Fintech chinesas parece inexorável e contra isso o que é que os reguladores e os governos nacionais podem fazer? Tal como as autoridades de saúde, podem tentar conter o contágio do Coronavírus, mas não será nada fácil…