Venezuela

Oposição venezuelana apresenta queixa por financiamento ilegal do Podemos

516

Partido da oposição venezuelana Primero Justicia apresentou uma queixa junto do Ministério Público da Venezuela por suposto financiamento ilegal do partido espanhol Podemos.

Governo venezuelano terá financiado o Podemos em 14 milhões de euros

Ballesteros/EPA

O partido da oposição venezuelana Primero Justicia apresentou nesta quarta-feira uma queixa junto do Ministério Público da Venezuela por suposto financiamento ilegal do partido espanhol Podemos, por parte do Governo de Caracas. De acordo com um comunicado do Primero Justicia, o deputado que apresentou a queixa, Julio Montoya, afirma que o executivo da Venezuela contratou, nos últimos anos, a fundação Centro de Estudos Políticos e Sociais do partido Podemos por 14 milhões de euros.

Montoyo indica que os contratos realizaram-se através de diferentes organismos estatais, como a empresa de comunicações Cantv, o Instituto Venezuelano dos Serviços Sociais e o Ministério da Alimentação. O deputado da oposição afirma que nos próximos dias vai apresentar “documentos que provam os contratos entre o Podemos e o Estado da Venezuela” e que vão incluir no processo os “nomes de pessoas relacionadas com o Governo que têm empresas de fachada que são utilizadas para a obtenção de dólares norte-americanos” que foram depois transferidos para o partido espanhol.

Em declarações à agência noticiosa Efe, Montoya disse que os 14 milhões de euros são relativos a trabalhos de assessoria realizados desde 2006 pela fundação Centro de Estudos Políticos e Sociais (CEPS) para diferentes instituições do Estado venezuelano.

Segundo afirmou, os recursos financeiros foram estabelecidos “sob a condição de assessoria técnica”, mas que em nenhum documento constam os horários de trabalho e o conteúdo dos próprios atos de assessoria, “nem sequer as conclusões dos trabalhos”.

O deputado da oposição venezuelana adiantou ainda que o partido a que pertence pediu ao parlamento espanhol ajuda na investigação e anunciou que nos próximos dias vai deslocar-se a Madrid para “entregar documentos” que sustentam a acusação.

“Estamos a solicitar uma investigação penal porque acreditamos que se verificou aproveitamento ilícito de recursos do Estado da venezuela e tráfico de influências. Pedimos também uma investigação penal aos funcionários e cidadãos espanhóis que participaram nesta operação”, afirmou.

Na passada sexta-feira, o partido social-cristão Copei, da oposição na Venezuela, entregou uma carta na embaixada de Espanha em Caracas em que anunciava também a intenção de apresentar uma denúncia por alegado financiamento ilegal por parte do Governo venezuelano ao Podemos, disseram à Efe fontes diplomáticas.

Um responsável pelas Relações Internacionais do Copei, José Alberto Zambrano, disse hoje que na próxima semana o partido vai também apresentar uma queixa sobre o assunto, assim como ao Tribunal de Contas do Estado espanhol.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site