Papa em Fátima

Francisco vai dormir no quarto onde ficaram alojados Bento XVI e João Paulo II

O papa Francisco vai dormir em Fátima no quarto onde ficaram os seus antecessores Bento XVI e João Paulo II, um espaço marcado pela simplicidade, informou esta segunda-feira a porta-voz do santuário.

No quarto, no segundo piso e com janela virada para o pátio interior do edifício, está uma imagem da Virgem de Fátima

PAULO NOVAIS/LUSA

O papa Francisco vai dormir em Fátima no quarto onde ficaram os seus antecessores Bento XVI e João Paulo II, um espaço marcado pela simplicidade, informou esta segunda-feira a porta-voz do santuário, Carmo Rodeia. “O papa Francisco vai ficar na Casa de Nossa Senhora do Carmo, onde, de resto, já ficaram os seus predecessores, nomeadamente Paulo VI, João Paulo II – das três vezes que veio a Fátima – e Bento XVI”, disse à agência Lusa Carmo Rodeia.

A responsável explicou que a Casa de Nossa Senhora do Carmo é “de retiros, essencialmente destinada a atividades pastorais”, e tem “dois quartos que serviram” os papas que visitaram Fátima. “O papa Francisco vai ficar num desses quartos, justamente no quarto onde ficaram Bento XVI e João Paulo II numa das suas viagens” a Fátima, adiantou Carmo Rodeia.

Segundo a diretora de comunicação do maior templo mariano do país, trata-se um “quarto simples” como a própria Casa de Nossa Senhora do Carmo. “Tem uma enorme simplicidade e também não poderia ser de outra maneira, até pelo próprio caráter do papa Francisco”, adiantou, explicando que o espaço inclui uma sala pequena e uma zona de trabalho. No quarto, no segundo piso e com janela virada para o pátio interior do edifício, está uma imagem da Virgem de Fátima.

Carmo Rodeia esclareceu que “o Vaticano, em todas as deslocações” do papa, “faz sempre um conjunto de sugestões e dá um conjunto de orientações ao sítio para onde vai”, sendo que neste caso “também não foge à regra”. “Neste momento ainda não está nada definitivo relativamente às ementas”, declarou, garantindo, contudo, que “da parte do santuário haverá todo o cuidado em servir ao Santo Padre – como é seu apanágio no dia a dia – produtos frescos e da região, e, sobretudo, adquiridos no comércio local, de forma a que também assim contribua para a dinamização da economia local”.

Para a responsável, trata-se de uma forma de mostrar ao papa os “bons produtos e as iguarias da região Centro e, particularmente, de Leiria e de Fátima”. A este propósito Carmo Rodeia conta, citando a responsável por esta casa de retiros, irmã Maria do Carmo, duas situações relativas aos papas João Paulo II e Bento XVI.

No caso de João Paulo II, que foi vítima de uma tentativa de atentado na sua primeira visita a Fátima, em 1982, precisamente um ano depois de ter sido alvejado na praça de São Pedro, em Roma, havia “sempre um elemento da comitiva do papa que estava na cozinha e provava sempre a comida” antes de lhe ser servida.

No caso de Bento XVI, a primeira vez que tomou uma refeição na Casa de Nossa Senhora do Carmo foi-lhe servida tarde de noz na sobremesa. “Gostou imenso e a todas as refeições pediu como sobremesa essa torta de noz”, referiu, adiantando que as refeições que o papa Francisco vai tomar em Fátima serão confecionadas por funcionárias da casa, sendo provável que a irmã Maria do Carmo e as cozinheiras queiram “brindar o papa com algum mimo especial”, mas este segredo ainda não foi revelado.

Francisco é o quarto papa a visitar Fátima, a 12 e 13 de maio, para canonizar os pastorinhos Francisco e Jacinta, no centenário das “aparições”, em 1917. O papa tem encontros previstos com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, logo à chegada, e com o primeiro-ministro, António Costa, no dia 13. Os anteriores papas que estiveram em Fátima foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

O vídeo das nossas vidas

Helena Matos
904

Beija-mão presidencial ao Papa em Monte Real. Um primeiro-ministro a brincar às amas. O país olha para o lado. E indigna-se com o "Correio da Manhã". É a propaganda, senhores. É a propaganda.

Politicamente Correto

É difícil comer cabrito vivo

Helena Matos

Estava a perceber quando terão os trabalhadores do sector privado as suas 35 horas e eis que constato que a Nação se mobiliza contra uma ignomínia: a morte de um cabrito num congresso de cozinheiros 

Saúde Pública

Votar o futuro da Saúde da nação

Francisco Goiana da Silva

Resta-nos a nós, cidadãos, esperar que quando esta medida de Saúde Pública [taxa do sal] for votada, os deputados não se esqueçam de acautelar a vontade da sociedade. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site