Espanha

Espanha identifica produtos derivados de ovos contaminados com fipronil

133

As autoridades espanholas detetaram, pela primeira vez em Espanha, produtos obtidos a partir dos diferentes componentes do ovo contaminados com o pesticida tóxico fipronil.

ETIENNE LAURENT/EPA

Autor
  • Agência Lusa

As autoridades espanholas anunciaram este sábado que detetaram, pela primeira vez em Espanha, produtos obtidos a partir dos diferentes componentes do ovo (ovoprodutos) contaminados com o pesticida tóxico fipronil. A descoberta de um lote de “20 mil unidades de gemas líquidas pasteurizadas” contaminadas com fipronil foi feita na sexta-feira à tarde “numa empresa agroalimentar no País Basco espanhol [norte]”, indicou, em declarações à agência noticiosa francesa France Presse (AFP), um porta-voz do departamento de saúde pública do governo regional do País Basco.

Estes ovoprodutos “não tinham sido ainda utilizados” e vão ser destruídos, precisou o porta-voz. O representante, que não quis ser identificado, afirmou não saber qual era a origem do lote contaminado. Alguns ‘media’ espanhóis estão a noticiar que o lote em questão teria sido importado de França.

Com este novo caso, eleva-se para 16 o número de países da União Europeia (UE) afetados por esta crise dos ovos contaminados com fipronil, que também abrange a Suíça e o território de Hong Kong. A Comissão Europeia já informou que vai reunir-se com representantes dos países afetados por esta crise a 26 de setembro.

Em Portugal, segundo a Direção-Geral da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (DGAV), os ovos em causa não estão à venda. Na sexta-feira, a autoridade que fiscaliza as atividades económicas, a ASAE, garantiu à Lusa que está atenta e pronta a intervir no terreno caso sejam detetados em Portugal ovos contaminados com fipronil.

Em grandes quantidades, o fipronil, usado para eliminar ácaros e insetos, é considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como “moderadamente tóxico” para o homem. O uso deste pesticida é expressamente proibido em animais destinados ao consumo humano.

A “crise” dos ovos contaminados iniciou-se a 20 de julho, quando a Bélgica alertou as autoridades comunitárias de que tinha detetado ovos contaminados. Oito dias depois, a Holanda lançou um alerta alimentar por suspeita de contaminação, mas foi só a 03 de agosto é que as autoridades holandesas advertiram de que, em alguns lotes de ovos, a quantidade do pesticida era superior aos limites e poderia representar um perigo para a saúde dos consumidores.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Autárquicas 2017

As eleições de André Ventura

Rui Ramos

Não há no que André Ventura afirmou qualquer vestígio de “racismo” ou “xenofobia”. Mas este Verão, a nossa oligarquia política precisava de inventar um Trump de palha, desse por onde desse.  

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site