Autárquicas 2017

Vice-presidente do Benfica abandona Ventura. Candidato sente-se “cada vez mais sozinho”

1.584

André Ventura perde presidente da comissão de honra. Vice-presidente do Benfica abandonou o cargo por declarações do candidato do PSD a Loures sobre ciganos. Ventura sente-se "mais sozinho".

NUNO FOX/LUSA

O vice-presidente do Benfica João Varandas Fernandes decidiu abandonar o cargo de presidente da Comissão de Honra da candidatura de André Ventura à câmara municipal de Loures, confirmou o candidato apoiado pelo PSD ao Observador. André Ventura explica que a saída do dirigente benfiquista está relacionada com os “comentários sobre a etnia cigana” e diz que se se sente “cada vez mais sozinho neste caminho.”

A polémica em torno da candidatura de André Ventura começou com duas entrevistas do candidato, onde fez comentários sobre a comunidade cigana. Primeiro, numa entrevista ao Notícias ao Minuto a dizer que “há minorias no nosso país que acham que estão acima da lei” e, depois, numa outra ao jornal i, onde afirmou que “os ciganos vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado.”

André Ventura, em declarações ao Observador, lamenta “a saída da candidatura e do projeto” de alguém que considera “amigo e uma referência para os lourenses”. Ainda assim, o candidato do PSD garante:

Não vou voltar atrás naquilo que disse sobre a comunidade cigana nem alterar a essência do meu projeto para Loures. Apesar de me sentir cada vez mais sozinho neste caminho, vou continuar“.

Após as declarações sobre a comunidade cigana, André Ventura já perdeu o apoio do CDS — que avançou com candidatura própria no município — e também viu a vice-presidente do PSD, Teresa Leal Coelho, repudiar as declarações por considerar que “generalizam comportamentos” e “só perpetuam os preconceitos e estigmatizam comunidades que fazem parte integrante do tecido demográfico das nossas cidades”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt
Autárquicas 2017

As eleições de André Ventura

Rui Ramos
464

Não há no que André Ventura afirmou qualquer vestígio de “racismo” ou “xenofobia”. Mas este Verão, a nossa oligarquia política precisava de inventar um Trump de palha, desse por onde desse.  

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site