Carreira

Ensino Superior e ciência também descongelam carreiras em 2018

Os docentes do Ensino Superior e os investigadores vão ter as carreiras descongeladas em 2018. O ministro da Tecnologia, da Ciência e do Ensino Superior disse que ainda não sabe quanto vai custar.

Manuel Heitor falou esta terça-feira na Assembleia da República sobre o OE 2018

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, garantiu esta terça-feira o descongelamento de carreiras para os docentes do ensino superior e investigadores em 2018, mas não sabe ainda quanto isso vai custar.

À saída da audição pela comissão parlamentar de Educação e Ciência na Assembleia da República, onde esta tarde foi ouvido pelos deputados no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2018, o ministro garantiu o descongelamento também na ciência e no ensino superior.

“Vai ser feito em todas as áreas de forma idêntica. O que está combinado é que o Ministério das Finanças fixará a dotação que depois será distribuída pelas instituições, uma vez que cada instituição tem práticas diferentes de esquemas de progressão na carreira”, disse Manuel Heitor aos jornalistas.

Questionado sobre o peso desse descongelamento no Orçamento do Estado para o próximo ano, o ministro disse que não sabe ainda qual o valor.

“Não tenho definido”, disse.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site