Apps

Parabéns Candy Crush! Celebram-se cinco anos que chegou ao iOS e aos smartphones

O Candy Crush Saga, uma das aplicações mais jogadas em smartphones, chegou aos telemóveis há cinco anos. Com quase cem milhões de downloads, continua a ser das apps com mais sucesso.

Para celebrar a ocasião, a King está a oferecer um pacote de itens na app para os jogadores mais avançados

GABRIEL BOUYS/AFP/Getty Images

O iPhone 5 era o smartphone do momento, o Gmail acabava de se tornar o serviço de email mais utilizado no mundo e dizer que Donald Trump ia ser presidente dos Estados Unidos era visto como uma piada. Mal se sabia que milhões de pessoas iam ter a vida alterada graças a um jogo sobre doces. Foi a 14 de novembro de 2012 que Candy Crush Saga chegou ao sistema operativo dos smartphones da Apple, um mês antes de ser lançado para Android. Em pouco mais de um ano tornou-se das apps mais jogadas, com quase cem milhões de utilizadores.

Hoje, a saga de Candy Crush da King — empresa sueca que criou o jogo — tornou-se num franchise com mais dois jogos: Candy Crush Soda Saga e Candy Crush Jelly Saga. Ao todo as apps tiveram mais de 2,73 mil milhões de downloads, como refere o Wired num artigo dedicado ao aniversário do jogo da King.

Em declarações ao mesmo meio, Sebastian Knutsson, chefe criativo e co-fundador da King, afirma: “Nós começámos a fazer [jogos de] Facebook e mobile e esperávamos que morressem passados 6 meses”. Graças ao sucesso alcançado a King, em 2016, foi adquirida pela Activision através de uma compra multimilionária: 5,9 mil milhões de dólares (cinco mil milhões de euros, aproximadamente).

Activision compra “Candy Crush” por 5.350 milhões de euros

Quase a chegar ao nível três mil, Candy Crush Saga continua a ser um dos jogos mais jogados nos smartphones, principalmente da Apple. A aplicação é considerada como uma das primeira apps que criou o conceito de freemium: uma mistura de grátis com premium, um jogo que é descarregado para o telemóvel gratuitamente mas que incentiva constantemente os utilizadores a gastar dinheiro para continuarem a jogar e progredir mais facilmente.

E qual a receita para o sucesso de Candy Crush? Segundo Knutsson “tem de se fazer um jogo que apele ao público em geral e tem de ser fácil de publicitar”. No entanto, para o chefe criativo da King, “já não é tão fácil para produtores independentes fazerem isso [criar jogos virais] como se fazia há cinco ou sete anos”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site