Cinema Português

Filme “A fábrica de nada” vence prémio Fénix de melhor montagem

O filme português venceu o prémio Fénix do cinema ibero-americano na categoria de melhor montagem. "A fábrica de nada" é do realizador Pedro Pinho.

RAUL CARO/EPA

O filme português “A fábrica de nada”, de Pedro Pinho, conquistou o galardão de melhor montagem dos Prémios Fénix do cinema ibero-americano, entregues na noite de quarta-feira na Cidade do México.

O filme chileno “Una mujer fantástica” e a plataforma ‘online’ Netflix foram os grandes vencedores da quarta edição dos Prémios Fénix do cinema ibero-americano, para os quais estavam nomeados os filmes “A fábrica de nada” e “O ornitólogo”, além do músico Rodrigo Leão pela banda sonora original do documentário “No intenso agora”, do realizador brasileiro João Moreira Salles.

O filme “Joaquim”, do realizador brasileiro Marcelo Gomes, coproduzido entre Portugal e Brasil, conquistou, por seu turno, o prémio de melhor guarda-roupa, única categoria para a qual estava indicado.

A longa-metragem “Una mujer fantástica”, que partia como favorita após ter recebido sete nomeações, arrecadou três prémios, incluindo o de melhor filme de ficção. Sebastián Lelio, que não pôde assistir à cerimónia, ganhou o Fénix de melhor realização, enquanto a protagonista do filme, Daniela Vega, o de melhor atriz. O filme, uma coprodução do Chile, Espanha, Alemanha e Estados Unidos, conta a história de uma transexual que tenta superar a morte da companheira.

A película mexicana “La libertad del diablo”, de Everardo González, também arrecadou três estatuetas (incluindo a de melhor longa-metragem documental e a de melhor música original), à semelhança da coprodução espanhola-norte-americana “Un monstruo viene a verme”, de Juan Antonio Bayona, distinguido nomeadamente pelo melhor som e com o prémio especial do público, ao qual concorriam cinco filmes.

O filme espanhol “Estiu 1993”, por seu lado, foi distinguido pelo melhor argumento, enquanto a coprodução argentina-espanhola “El ciudadano ilustre”, que partiu com cinco nomeações, apenas recebeu o prémio pela atuação de Óscar Martínez.

Naquela que foi a primeira edição em que se premiaram series televisivas, numa tentativa de seguir de perto as tendências da indústria audiovisual, a plataforma ‘online’ Netflix triunfou nas três novas categorias.

A série “Club de Cuervos” arrecadou o galardão na categoria de melhor comédia televisiva pela sua segunda temporada, enquanto “Narcos” conquistou dois prémios, incluindo o de melhor drama televisivo, também pela sua segunda temporada.

Os prémios de cinema ibero-americano Fénix são uma iniciativa da associação Cinema23, para “reconhecer e celebrar o trabalho de quem se dedica ao cinema na América Latina, em Espanha e Portugal”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site