Barack Obama

Príncipe Harry entrevista Obama. Mas será que o pode convidar para o casamento?

108

"Trump ia reagir mal se os Obamas fossem ao casamento real". Harry quer convidá-los. Por falar em Trump, Obama falou do perigo das redes sociais usadas por pessoas com poder, numa entrevista a Harry.

Chris Jackson/Getty Images for the Invictus Games Foundation

“Tenho de falar mais rápido? Tenho que fazer um sotaque britânico?, perguntou o ex-presidente norte-americano Barack Obama. Foram algumas das questões colocadas por Barack Obama, entrevistado pelo Príncipe Harry no papel de editor convidado para o programa Today da BBC Radio 4 desta quarta-feira.

Sem mencionar o nome de Donald Trump, o ex-presidente dos Estados Unidos alertou para o perigo de publicar mensagens nas redes sociais, quando usadas por pessoas em cargos de poder. Barack Obama disse ainda que as redes sociais estão a “corromper o discurso civil” e a impedir conversas normais.

É importante que as pessoas também fiquem offline, encontrarem-se num bar e conhecerem-se. A verdade é: na internet tudo é simplificado. Quando se conhecem as pessoas frente a frente, tudo é mais complicado”, disse Barack Obama na entrevista.

Na entrevista, o ex-presidente dos Estados Unidos também recordou o dia em que o poder passou para Donald Trump. Embora satisfeito, Obama defende que “interferiu com todo o trabalho que ainda estava por fazer“.

Obama revelou que tem saudades de ir ao cinema e recusou responder se preferia boxers ou cuecas ou se preferia Khloe ou Kim Kardashian. Se só tivesse cinco dólares, o ex-presidente dos Estados Unidos, compraria um hambúrguer em vez de um bilhete para a lotaria, contou ainda.

Não fiz muitas entrevistas, mas foi divertido, especialmente entrevistar Obama, excluindo o facto que ele me queria entrevistar a mim. Tem sido uma grande aprendizagem, mas também é importante discutir tópicos que todos devíamos pensar e discutir”, confessou o príncipe Harry.

Mas quem é que vai ao casamento real? Obama ou Trump?

A entrevista pôs em evidência a relação de proximidade existente entre o príncipe Harry e o ex-presidente norte-americano. Mas será que Obama vai ao casamento real — marcado para o dia 19 de maio de 2018? É que o governo britânico terá pedido formalmente que o Príncipe Harry não convide Barack Obama, de acordo com revelações feitas por fonte do governo britânico ao jornal The Sun.

O Trump ia reagir muito mal se os Obamas fossem ao casamento real antes de ele ter oportunidade de conhecer a Rainha”, explicou a mesma fonte ao jornal.

As intenções de Harry, que já “deixou claro que quer convidar os Obamas para o casamento”, podem provocar um incidente diplomático. “Está a causar algum nervoso“, contou a mesma fonte, que adiantou que a decisão vai ser tomada por ministros que estão “em conversações”. Ainda assim, o casamento real não é uma ocasião estatal pelo que o governo só terá um papel consultivo. A lista de convidados é elaborada na íntegra pelo Palácio de Buckingham.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Debate

Desimportantizar os caraoqueiros

Paulo Tunhas

O pensamento-karaoke funciona como obstáculo a que se procure entender o que se passa à nossa volta. Os caraoqueiros estão-se, de resto, nas tintas. Só querem caraocar mais alto do que os outros.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site