Assédio Sexual

Meryl Streep sobre o assédio sexual em Hollywood: “Agora que as pessoas estão mais sóbrias tem de haver perdão”

1.119

Em entrevista ao The New York Times, a atriz fala pela primeira vez sobre os casos de assédio sexual. Streep também sofreu, mas não quer estragar a vida a pessoas que, agora, "têm outra maturidade".

MANDEL NGAN/AFP/Getty Images

Em dezembro de 2017 Meryl Streep mostrou-se magoada com as palavras duras de Rose McGowan e reforçou que não tinha conhecimento dos comportamentos de Harvey Weinstein. McGowan, uma das vítimas de assédio sexual por parte do produtor caído em desgraça, atacou a já muito premiada atriz, criticando o seu silêncio. Agora, Streep fala pela primeira vez sobre o assédio sexual em Hollywood: “Vivi coisas, sobretudo quando era jovem e bonita. Antigamente, quando todos consumiam cocaína, havia muitos comportamentos indesculpáveis. Mas agora que as pessoas são mais velhas, e estão mais sóbrias, tem de haver perdão e isso é o que penso sobre o assunto”.

Em entrevista ao The New York Times sobre o movimento #MeToo, Meryl Streep recusou entrar em pormenores mas admitiu ter passado maus momentos. “Sofri muito, mas não quero estragar a vida de pessoas que agora têm outra maturidade. Não quero mesmo. Penso que, se o mundo tem de continuar, temos de arranjar uma forma de trabalhar juntos”, diz a atriz.

Na mesma entrevista, Streep fala sobre a polémica interação com Dustin Hoffman no filme Kramer vs. Kramer e recorda que o ator lhe bateu na primeira cena em que contracenaram juntos:

Quando se é um ator e se está numa cena é preciso que nos sintamos livres. Tenho a certeza que já magoei pessoas sem querer em cenas físicas. Isso é perdoável até um certo ponto. Mas este foi o meu primeiro filme e foi o meu primeiro take no meu primeiro filme e ele simplesmente deu-me uma estalada. E é possível ver isso no filme. Ele ultrapassou os limites. Mas acho que essas coisas estão a ser corrigidas. (…) Elas vão ser corrigidas porque as pessoas já não as aceitam. Isso é bom.

Hoffman é um dos atores que recentemente viram o seu nome associado ao escândalo que rebentou com as acusações iniciais dirigidas a Harvey Weinstein. Também o ator veterano, hoje com 80 anos, foi acusado de assédio sexual mais do que uma vez — o primeiro caso remonta a 1985, quando o ator terá apalpado de forma continuada uma estagiária de 17 anos.

A interação entre Streep e Hoffman é particularmente polémica, sobretudo depois de a publicação Slate ter recuperado uma entrevista que Streep deu em 1979 à Time, na qual contou que Hoffman apalpou-lhe os seios no primeiro encontro. Um representante de Streep garantiu, mais tarde, que o artigo em questão não faz uma fiel descrição desse encontro, embora tenha existido, de facto, uma ofensa pela qual Dustin Hoffman já pediu desculpa.

Ao The New York Times, Streep voltou a confirmar que não tinha conhecimento da conduta de Harvey Weinstein: “Não sabia que ele estava a abusar de pessoas. Ele nunca me convidou para um quarto de hotel”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site