Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O candidato do PS, Francisco Assis, desvalorizou esta quinta-feira a ausência de Mário Soares da campanha dos socialistas. O ex-Presidente da República recusou o convite para participar na campanha, já esta semana.

“Tomou a atitude que tomou. Mesmo que não esteja fisicamente (…) já disse que polticamente vota PS – e que está connosco”, disse. Assis admitiu não ter falado com o ex-Presidente da República,  como também disse não ter falado com o ex-primeiro-ministro José Sócrates. A presença do ex-líder do PS está marcada para amanhã, no tradicional almoço na Cervejaria Trindade, em Lisboa. Francisco Assis já disse que José Sócrates irá depois descer o Chiado.

Para Assis, a recusa de Soares é um “caso encerrado”. Em declarações aos jornalistas, Assis não deixou de comparar com a campanha da Aliança Portugal. Disse o candidato socialista que prefere que Soares não esteja fisicamente, mas esteja politicamente, do que estar fisicamente como Marcelo na campanha da Aliança Portugal.

Francisco Assis regressou esta quinta-feira Felgueiras, local onde em 2003 foi agredido. Na altura, Assis era líder da distrital do Porto e tinha ido a Felgueiras explicar aos militantes o porquê de ter retirado a confiança política à então presidente da Câmara, Fátima Felgueiras. No regresso, o candidato socialista foi recebido com aplausos e desvalorizou o episódio: “Já aqui voltei muitas vezes. Na vida polítca temos de estar preparados para situações de natureza daquela que ocorreu. Foi uma circunstância infeliz, que ja foi ultrapassada”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR