O antigo primeiro-ministro José Sócrates mostrou-se favorável à convocação de um congresso extraordinário no partido e declarou o seu apoio a António Costa, considerando o atual autarca da Câmara Municipal de Lisboa a pessoa certa para liderar o PS. Convidado do programa Bloco Central na TSF, José Sócrates afirmou que “os congressos extraordinários servem para situações extraordinárias e esta é sem dúvida uma situação extraordinária”, referindo-se aos resultados eleitorais das europeias, situação que levou António Costa a manifestar a sua disponibilidade em candidatar-se à liderança socialista.

Caso se venham a realizar eleições diretas seguidas de congresso, José Sócrates não tem dúvidas: “como militante de base, escolherei António Costa”, acrescentando que desde que abandonou a liderança do partido, em junho de 2001, sempre defendeu que Costa era a pessoa certa para liderar o PS. Para Sócrates, a candidatura de António Costa foi um ato de coragem “absolutamente legítimo”. “É uma vergonha acusar António Costa de ambição ou vaidade”, acrescentou.

O apoio de Sócrates a António Costa não é novidade. Em setembro de 2004, José Sócrates chegou à liderança socialista com o apoio expresso de António Costa e, em março de 2005, após a vitória socialista nas legislativas com maioria absoluta, Costa deixou o cargo de eurodeputado para se assumir como Ministro de Estado e da Administração Interna no executivo.