Rádio Observador

Turismo

Turismo de Portugal duplica número de visitantes com presença online

A estratégia de marketing digital implementada em 2013 trouxe 15 mil visitantes por dia ao Visit Portugal, mais 7 mil do que no ano anterior, revelou o Turismo de Portugal esta segunda-feira.

A aposta do Turismo é digital e está presente em 13 mercados-alvo

JOAO CORTESAO

Mais de 400 campanhas online depois, em 11 idiomas, o foco do Turismo de Portugal no marketing digital teve frutos – que é como quem diz, turistas. Em 12 meses, o número de visitantes do portal de promoção turística internacional quase duplicou, passando de 3,1 milhões de visitantes em 2013 para 6 milhões em 2014, mais 92,5 %, segundo os resultados apresentados esta segunda-feira pelo Turismo de Portugal.

“A estratégia assente no marketing digital e não institucional foi iniciada em 2013 e será aprofundada nos próximos anos. Estamos ainda, e reconheço-o com humildade, numa fase consolidada mas inicial. O marketing digital envolve vários desafios, está em permanente mutação, e o Turismo de Portugal estará a par desses desafios e mutações”, explicou Adolfo Mesquita Nunes, secretário de Estado do Turismo, ao Observador.

No primeiro trimestre de 2014, as receitas turísticas subiram 5,9% para os 1,56 mil milhões de euros, quando comparadas com o primeiro trimestre de 2013, e o número de turistas cresceu 7,1%, para os 1,29 milhões, segundo os dados revelados pelo Turismo de Portugal, em maio.

Os dados sobre as visitas online dizem respeito ao ano móvel que terminou em abril e foram revelados na apresentação da estratégia “O Marketing Digital na Comunicação Internacional do Destino Portugal”, com cerca de 15 mil visitantes por dia, mais sete mil do que o que tinha sido revelado em abril de 2013 e 24.980 visualizações diárias no canal do Youtube do Turismo de Portugal, mais 23.155 do que no período homólogo.

“A aposta numa campanha totalmente online permite, com maior eficácia e gestão de meios, atuar mais próximo da decisão de férias do turista, levando-o a escolher e a divulgar Portugal e contribuindo fortemente para os bons resultados que o sector do Turismo tem apresentado”, adiantou João Cotrim de Figueiredo, presidente do Turismo de Portugal.

Em 2013, Portugal recebeu 14,4 milhões de turistas, mais 4,2% do que em 2012, registou 41,7 milhões de dormidas, mais 5,2% do que em 2012 e as receitas atingiram os 9,2 milhões de euros, mais 7,5% do que no ano anterior.

“As próximas etapas passam por melhorar a presença no mobile, através de apps, permitir maior partilha de experiências, através de ferramentas online, e medir e afinar em contínuo esta estratégia, através de remarketing e attribution analysis“, acrescentou o secretário de Estado.

Mais com menos

A estratégia de comunicação do Turismo de Portugal recorreu a cerca de 50% do investimento feito em anos anteriores, cinco milhões de euros, o que permitiu libertar recursos para reforçar a atividade de apoio à venda junto de operadores internacionais e aumentar o número de workshops comerciais focados no contacto próximo e exclusivo das empresas nacionais com os operadores e agentes dos 13 mercados-alvo, como Alemanha, Brasil, Espanha, Reino Unido ou Estados Unidos da América.

“Este não é um modelo dependente da influência de um governante, mas antes um modelo que vai ao encontro das necessidades das empresas, dos empresários, e que pretende beneficiar todos os agentes do sector”, disse o ministro António Pires de Lima.

Para Adolfo Mesquita Nunes, Portugal não pode continuar a fazer promoção como se fazia nos anos 90. “A promoção deve servir para captar turistas, não para captar votos”, disse, no discurso desta segunda-feira.

O reforço de valor e notoriedade da marca Destino Portugal devem continuar, sendo que o Turismo de Portugal deve centrar os seus esforços no destino do país como um todo, referiu o secretário de Estado. Mais: a sua promoção deve estar focada na comercialização, apoio à venda, captação de rotas e operadores e não na organização e patrocínio de eventos.

“Como secretário de Estado do Turismo o meu objetivo é claro: fazer crescer o contributo do setor do Turismo para a economia, liderando nas exportações, no crescimento do PIB, na criação de Emprego, no valor acrescentado para a economia nacional”, acrescentou.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)