As exportações de calçado português atingiram 481,3 milhões de euros no 1º trimestre de 2014, revelam os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística. Segundo o INE, é um aumento 10,1% face ao mesmo trimestre de 2013.

O setor do calçado tem dado fôlego às exportações lusas, depois de ao longo de duas décadas ter perdido peso relativo, quando representava 8,8% em 1993 e 3,7% em 2013. Segundo o INE, as “exportações de calçado nos anos recentes têm sido mais dinâmicas que a globalidade das exportações”.

De 2008 até 2013, as exportações de calçado registaram um crescimento acumulado de 29,6%. Em 2013 e face ao ano anterior, as exportações do setor aumentaram 7,9% enquanto a totalidade das exportações de bens aumentou 4,7%.

aumento_exportacoesO aumento das exportações deve-se mais ao “aumento do preço unitário” do calçado português – 23,3 euros por par, quase mais um euro face ao preço praticado em 2012- do que ao “ aumento das quantidades exportadas”. A maior “diversidade geográfica” dos mercados de destino e a perda do “peso relativo dos principais clientes europeus” são também fatores que influenciaram o desempenho das exportações no setor.

preco_sapato_portuguesNos últimos seis anos foram os sapatos com a parte superior de couro natural que mais foram vendidos para o exterior, representando, em 2013, 88,2% do valor total das exportações de calçado. Cerca de metade deste tipo de calçado de couro natural era do modelo feminino (49,6%), enquanto o calçado para homem representava cerca de um terço.

Embora a Europa continue a ter um apetite especial pelos sapatos portugueses, segundo o INE, nos “últimos anos notou-se um aumento do peso relativo dos países terceiros”. Se em 2008, os mercados fora da Europa concentravam apenas 7% do valor total das exportações de calçado português, em 2013, o seu peso aumentou para 12,8%. Os russos e os norte-americanos são os que mais compram sapatos “made in” Portugal.

Ainda assim, a França, a Alemanha, os Países Baixos, a Espanha e o Reino Unido continuam a ser os tradicionais países de destino do calçado nacional. No seu conjunto, concentravam 73,2% das exportações em 2013.

mapa_compradores_sapatosFranceses e alemães são os que mais compram sapatos “made in” Portugal

A França é o principal cliente do calçado português. Em 2013, representava 24,4%. Embora tenham diminuído 7,6% o número de pares de sapatos exportados, o valor aumentou 15,4%. Se em 2008, o preço pago por cada par de sapatos era de 20,7 euros, em 2013 passou a ser de 25,8 euros.

Também a Alemanha é boa compradora e mantém-se como o segundo maior mercado, representando no ano passado 18,4%. Também neste caso, o valor das exportações em 2013 cresceu 20,8% face a 2008, embora o número de pares comprados tenha diminuído 3,4%. Em 2008, um par de sapatos era exportado a um preço de 20, 2 euros e, em 2013, atingiu os 25,3 euros.

Tudo somado, a balança comercial do calçado apresenta excedentes. Em 2008, o saldo da balança comercial atingiu um excedente de 906,4 milhões. Em 2013, aumentou para 1.310,9 milhões de euros.

Com as vendas ao estrangeiro a subir e a compras a descer, segundo o Instituto Nacional de Estatística, em 2013, o “excedente comercial de calçado foi um dos mais significativos” em termos de transações de produtos no comércio internacional.