Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Jogar à bola faz bem à saúde. Esta é a conclusão de um grupo de investigação na Dinamarca, mas também é evidente para uma equipa de técnicos no Quénia. Com o campeonato do mundo a decorrer no Brasil parece ser uma boa altura para incentivar os jogos de futebol amador.

Uma equipa do Centro para o Desporto de Equipa e Saúde de Copenhaga mostrou que jogar futebol de rua melhora a condição física de quem o pratica. Em apenas 12 semanas um grupo de pessoas sem abrigo melhorou a postura e a capacidade física, aumentou a massa muscular e da mineralização dos ossos, também diminuiu a percentagem de massa gorda e o nível de colesterol, noticia a News Medical, sobre o estudo publicado na semana passada Scandinavian Journal of Medicine & Science in Sports.

“Menos de mil jogadores estão presentemente no Campeonato do Mundo [de Futebol], mas há uma estimativa de que existam 400 milhões de pessoas a jogar futebol em todo o mundo. E há potencial para muitos mais. Não só promove um treino intenso e variado, como também é uma atividade social e pode ser jogado em qualquer lado”, disse à News Medical o coordenador do estudo, Peter Krustrup.

E qualquer lado é mesmo qualquer lado. Que o digam os tratadores dos elefantes órfãos no centro de recuperação e reabilitação do David Sheldrick Wildlife Trust, no Quénia – os elefantes do centro são verdadeiros entusiastas do jogo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Vídeo na National Geographic Daily News

Fornecer uma bola de futebol aos elefantes em cativeiro pode ser uma forma de estimular os comportamentos naturais. “Os elefantes pontapeiam naturalmente as coisas”, disse à National Geographic a codiretora do Elephant Voices, Joyce Poole. “Quando estão na mata, pegam em coisas, como paus e pedras, e pontapeiam. Fazem-no tanto com as patas como com a tromba.”

Mas será que teremos uma equipa de elefantes no próximo Mundial de Futebol? Talvez não. Estes jogadores amadores ainda têm muito a aprender sobre as regras do jogo, fugir com a bola na tromba ou rebolar no chão por cima dela não são comportamentos admitidos.