Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A exposição da Espírito Santo Financial Group (ESFG) a financiamentos concedidos a outras empresas do Grupo Espírito Santo (GES) totalizava 2,35 mil milhões de euros no final de junho de 2014. O valor representa um aumento de 71% em relação ao final de 2013, quando aquela exposição se situava em 1,37 mil milhões de euros, de acordo com um comunicado emitido nesta quinta-feira pela holding que detém 25,1% do capital do Banco Espírito Santo (BES).

Os empréstimos serviram para financiar a Espírito Santo International (ESI) e a RioForte e estão garantidos por ações de empresas do GES que atuam na área não financeira. A subida da exposição, afirma o comunicado, deve-se à necessidade de proceder ao reembolso de emissões de papel comercial de unidades do Grupo que foram colocadas junto de clientes do BES. No final do primeiro semestre de 2014, a ESFG era devedora do banco em 823 milhões de euros.

O comunicado também garante que a ESFG não está sob investigação das autoridades do Luxemburgo, país onde está localizada a respectiva sede. Também esclarece que, na estrutura de cascata do Grupo, a Espírito Santo Irmãos era detida a 100% pela RioForte e possuía 49,3% da ESFG. A Espírito Santo International, por seu turno, controla a totalidade do capital da RioForte.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR