Saiotes, sapatos pontiagudos, estampados coloridos, florais ou às riscas, cinturas de vespa e vestidos de cocktail. Um misto de tendências que, ao mesmo tempo, cruzaram-se nas ruas com um estilo mais descontraído, à base de pullovers justos e jeans, adotado pela geração baby boom. Assim foi a moda em França na década de 1950, que agora pode ser (re)visitada no Palais Galliera, em Paris. A exposição Les Années 50, com cerca de 100 modelos e acessórios, está patente de 12 de julho até 2 de novembro.

Os anos 1950 são considerados um período de renovação naquele país. Ou, então, a idade de ouro da alta-costura e um momento propício para o desenvolvimento das coleções de pronto-a-vestir, diz a Vogue. Findo o conflito mundial, as casas da moda francesa regressaram em grande e, em 1947, Christian Dior lançava a primeira coleção de alta-costura e causava sensação — o que, para alguns, foi interpretado de escandaloso — pelo uso generoso de tecido nos vestidos e saias. A “mulher-flor” de Dior apresentava, então, um busto proeminente, cintura apertada, barriga lisa, ancas arredondadas e uma saia muito cheia. O nascimento do “New Look”, tendência batizada pelo então editor da Harper’s Bazaar, viria a reposicionar o país no cenário da moda mundial.

25th April 1950:  Fashion couturier Christian Dior (1905 - 1957), designer of the 'New Look' and the 'A-line', with six of his models after a fashion parade at the Savoy Hotel, London.  (Photo by Fred Ramage/Keystone/Getty Images)

Christian Dior com modelo, em 1950 – Getty Images

Mas outros estilos deram nas vistas, como a linha “barril” da Balenciaga e os fatos simples e de linhas retas da Channel. O renascimento da moda francesa, que sofreu duros golpes com o crash da bolsa em 1929 e também com a guerra, associa-se facilmente à seguinte lista de nomes: Jacques Heim, Chanel, Schiaparelli, Balenciaga, Jacques Fath, da velha guarda; Pierre Balmain, Christian Dior, Jacques Griffe, Hubert de Givenchy e Pierre Cardin, os recém-chegados. Ao mesmo tempo que o luxo e a elegância ganhavam formas, também o ready-to-wear crescia a olhos vistos.

22nd February 1955:  A fashion model wearing a dress and coat by Balenciaga during rehearsals for an appearance on the television show 'Fashions From Paris'.  (Photo by Terry Fincher/Keystone/Getty Images)

Vestido e casaco de Balenciaga, fevereiro de 1955 – Getty Images

A respetiva exposição retrata a evolução da figura feminina entre 1947 e 1957, desde o nascimento do “New Look” até à morte de Christian Dior e o advento de Yves Saint Laurent. É nesta década que tanto a alta costura como o pronto-a-vestir crescem para se tornarem em sectores económicos de elevada importância, numa altura em que Paris recupera o título de capital da moda mundial.