O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, defendeu esta segunda-feira que os serviços de manutenção da TAP são de “primeira linha”, estando a ser cumpridos todos os requisitos necessários em termos de segurança. Atribui ainda a responsabilidade da manutenção do reator que teve problemas este sábado ao fabricante.

“Este reator do motor não é mantido pela TAP, é da responsabilidade do fabricante, que faz o acompanhamento direto da manutenção e das peças do reator e motor. O fabricante estará esta semana em Lisboa para verificar o sucedido e tomar as diligências que entender”, informou Sérgio Monteiro, defendendo que ainda é muito cedo para tirar conclusões. No entanto, acredita que “não há razões para fazer crer que a qualidade do serviço reconhecido da companhia está em causa”.

“Não tendo responsabilidade direta na manutenção daquele motor, a TAP aguardará o trabalho do GPIAA [Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves], mas também do fabricante, no sentido de evitar que se repitam estas situações”, concluiu. Será a TAP a assumir as despesas associadas à queda de peças do reator em viaturas e um edifício na zona de Camarate.

“Gostava de deixar uma palavra de tranquilidade em relação à TAP, porque os procedimentos básicos de segurança e manutenção da nossa companhia aérea de bandeira estão obviamente a ser cumpridos e nem podia ser de outra forma”, alegou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Não é por acaso que pela manutenção da TAP passam muitos dos aviões de outras companhias aéreas que não tem capacidade de manutenção interna. Isso tem-se verificado ao longo dos anos e mantém-se no presente”, acrescentou.

No final da cerimónia de inauguração das obras de requalificação do Aeródromo Municipal de Viseu, o secretário de Estado sublinhou aos jornalistas que a manutenção da TAP é “de primeira linha”.