Não, não e não.

Foi na negação que se baseou boa parte da entrevista de Luís Filipe Vieira, de quase uma hora e um quarto, ao canal do clube, a Benfica TV. O presidente desmentiu que o clube esteja em “liquidação”, recusou que Enzo Pérez e Nico Gaitan estejam à venda e disse que “o Benfica não vendeu jogadores”.  Ainda houve outros “não”, como a nega à entrada de investidores estrangeiros, ao regresso de Danilo Pereira (jogador do Marítimo) ou ainda de Oblak. Pois, Oblak. Vamos por aí: o presidente do Benfica revelou que o guarda-redes esloveno que os encarnados venderam (como foi pela cláusula não conta para as contas de vendas feitas por Vieira) ao Atlético de Madrid este verão foi oferecido ao clube. “Curiosamente já nos foi oferecido novamente. (…) Tivemos uma proposta de um agente que envolvia dinheiro e a cedência de um jogador. Não foi o Atlético de Madrid, mas acredito que o agente foi mandatado por eles.” Vieira revelou que o Benfica recusou: “Nunca mais poderia voltar ao Benfica. (…) Quem já fugiu duas vezes… Não vale a pena pensar nisso.”

Longe do pensamento dos adeptos do clube da águia não andam as possíveis saídas de dois argentinos, Enzo Pérez e Nico Gaitán, mas o presidente trata de tentar descansar os mais inquietos, o Benfica não está disposto a negociar – “Não houve propostas por Enzo e Gaitán. Não há acordo com qualquer clube. Se pagarem a cláusula de rescisão… Só saem pela cláusula!”. O presidente adiantou também que o clube vai propor a renovação de contrato a Gaitán.

Ainda quanto a saídas, Luís Filipe Vieira garantiu que não havia nada a fazer para travar a ida de Garay para o Zenit. “Não havia hipótese de renovação face ao salário que tinha.” O dinheiro, que entra e sai, que se deve ou não, não fugiu à entrevista. E aí, mais garantias, Vieira disse que a saída de jogadores não está relacionada com a necessidade absoluta de entrada de capital. “O Benfica não está em liquidação. Vamos fazer outros empréstimos. O Benfica não tem nenhum problema de tesouraria, que fique claro.”

O problema pode ser o que terá de renegociar, reembolsar ou refinanciar até ao fim do ano e daí até à ligação ao BES foi um passo, com o jornal Expresso a noticiar que o Novo Banco cancelou ao clube uma conta caucionada de 70 milhões de euros na sequência de uma ordem do Banco de Portugal, mas Luis Filipe Vieira fugiu à marcação: ““A notícia do Expresso é uma novidade para nós… O problema do BES é um problema do país, não do Benfica. O Benfica nunca esteve em incumprimento. Não sei porque falam tanto no BES em relação ao Benfica. Não há banco nenhum que não queira um cliente que pagou 200 milhões de euros em juros em dez anos.” Ainda sobre dinheiro, o que poderia entrar se algum investidor estrangeiro entrasse na SAD encarnada, Vieira negou que seja uma possibilidade. “O Benfica é dos sócios. Comigo será sempre assim. Para investidores estrangeiros não estou disponível.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois novamente os jogadores. Primeiro possíveis contratações. “Karnezis interessa” – o acordo com o guarda-redes grego pode estar por muito poucos dias, disse. Danilo Pereira, jogador do Marítimo, vindo da formação do Benfica, foi hoje apontado à Luz, mas o presidente negou categoricamente: “Danilo? Comigo não é possível! Abandonou o Benfica, como pode voltar?” E depois as saídas, novamente, agora por empréstimo. Bernardo Silva (Mónaco), Ivan Cavaleiro (Corunha) e João Cancelo (Valência) saíram, “não tinham espaço, foram crescer para grandes clubes. Nenhum deles foi vendido”, garantiu o presidente.

A fechar, os objetivos para a próxima época: “O grande objetivo é renovar o título de campeão.”