Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nota: artigo escrito com base em leituras e observações de comportamentos alheios. Dito isto, as bebidas alcoólicas causam efeitos vários. Choradeira, euforia, declarações de amor a amigos e amigas; brigas, berros, arrependimentos ou moleza. Há de tudo. Mas da China chega a história de uma bebida inovadora, que, sem surpresa, culminou na detenção do seu fabricante.

Imagine que chega a casa, neste caso um senhor, cansado do trabalho. Só quer sentar-se e tomar a sua bebida para tranquilizar e limpar a cabeça. Para sua surpresa, a boa disposição não é a única coisa que ganha dimensão… Perdoem-nos a ligeireza, mas é assim mesmo a história. O fabricante de Mr. Huang decidiu juntar ao licor um genérico do Viagra — Sildenafil. No rótulo destacava-se a frase “licor saudável nutricional”, conta o Metro.

Os clientes terão ficado mais incomodados do que agradecidos. O fabricante acabou detido e acabaria por admitir à Xinhua, a agência oficial de notícias chinesa, que o fez para responder à competitividade do mercado. A motivação foi “aumentar as vendas da bebida e fazer dinheiro mais rapidamente”, disse à Xinhua.

Huang, o fabricante, disse que apenas uma overdose de Sildenafil, a tal substância que comprou em janeiro (um quilo) para adicionar ao seu licor, poderia causar dano aos consumidores. Ainda assim, admitiu saber que seria ilegal fazer o que fez e que terá de repensar o seu modelo de negócio no futuro. Cada garrafa era vendida a pouco mais de sete euros, sendo que metade desse valor ficava, alegadamente, para Huang. Não se sabe, no entanto, se as vendas do licor cresceram durante o meio ano de experiência.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR