As Nações Unidas precisam de mil milhões de dólares (724 milhões de euros) para lutar contra o surto de Ébola “sem precedentes” que está a assolar a África Ocidental, um valor dez vezes superior àquele que a organização tinha anunciado no mês passado.

David Navarro, coordenador das Nações Unidas para o Ébola, anunciou a necessidade de aumentar o financiamento depois de a Organização Mundial de Saúde ter descrito o surto como “sem precedentes nos tempos modernos”. O surto já matou 2.461 pessoas desde que se registou o primeiro caso do atual surto da febre hemorrágica, em março de 2014.

“O mês passado pedimos cerca de 100 milhões de dólares (722 milhões de euros) e agora precisamos de mil milhões. Aquilo que pedimos aumentou dez vezes apenas num mês”, declarou David Navarro. “O aumento de que precisamos é inédito e deve-se à forma como o surto tem avançado”, concluiu.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta terça-feira, o Presidente norte-americano anunciará o envio de cerca de três mil militares norte-americanos para a África Ocidental, para participarem na luta contra o surto, segundo um responsável norte-americano citado pelas agências internacionais. Barack Obama deverá apresentar o plano de ação durante uma visita aos centros de controlo e de prevenção das doenças em Atlanta, no sul dos Estados Unidos.