Um dia antes do clássico, a Liga de Clubes dá razão ao Sporting. O Tribunal Arbitral da entidade ditou que o FC Porto deverá pagar ao clube de Alvalade mais 1,8 milhões de euros relativos à venda de João Moutinho, em maio de 2013, para o AS Monaco. Os leões, recorde-se, aquando da venda do médio aos dragões, em 2011, ficaram com o direito a receberem 25% da mais-valia de uma futura venda superior a 11 milhões de euros.

E os dragões, na altura, pagaram apenas 1,7 milhões ao clube, após receberem 25 milhões de euros do clube monegasco pela venda do internacional português. “Foi dada razão ao Sporting. Felizmente, por vezes, vai-se conseguindo estas decisões. Foi-nos dada razão e o FC Porto vai ter que pagar mais do que aquilo que queria”, avaliou Bruno de Carvalho, presidente do clube de Alvalade, à Sporting TV, antes de sublinhar que “fica provado que o Sporting tem razão naquilo que diz”.

O FC Porto, adiantou o canal televisivo dos leões, já recorreu da decisão.

“Nos termos do contrato de transferência do jogador João Moutinho acordou-se que a Sporting SAD teria o direito a receber 25% da mais-valia que se viesse a verificar numa futura cedência do jogador João Moutinho da Porto SAD para um terceiro clube. O montante atual em causa ascende a cerca de Euros 1,8 milhões.” – excerto retirado do Relatório e Contas da Sporting SAD referente à época 2013/2014.

Após a transferência de João Moutinho, o Sporting recebera apenas 1,7 dos 3,5 milhões de euros aos quais teria direito, segundo a cláusula firmada com o FC Porto. A 9 de setembro, quando divulgou o Relatório e Contas relativo à época 2013/2014 à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), soube-se que a direção de Bruno de Carvalho tinha instaurado um processo contra o FC Porto no Tribunal Arbitral da Liga Portuguesa de Futebol, e que faltava apenas conhecer a sentença.