Tiago tem 39 anos. É fotógrafo, realizador e, desde 22 de setembro, pode ser também considerado um aventureiro. Partiu de mota, sozinho, com a “parte macroscópica” da viagem traçada. Mas a velocidade do percurso e o tempo que passa em cada local serão definidos pela energia do próprio sítio.

Tiago diz que não quer partir com nenhuma ideia feita. Quer sentir tudo o que conseguir. Aos leitores do Observador, promete contar “histórias de pessoas, descrever locais, contar experiências, fotografar pormenores”. No fundo, Tiago quer que os leitores se sintam nos sítios e que se deixem inspirar pela aventura que vai durar dois meses. Até 22 de novembro, pode acompanhar a aventura de Tiago Figueiredo nas suas crónicas.