Horas depois da morte do liberiano Thomas Eric Duncan nos Estados Unidos, um polícia que visitou o apartamento onde aquele esteve alojado e contactou com os familiares foi internado no hospital de Dallas, no Texas, com sintomas de ébola, conta o Guardian. “O risco é mínimo”, disse Maher Maso, presidente da freguesia de Frisco, um subúrbio no norte de Dallas, numa conferência de imprensa. Para já, avisou, as autoridades estão a avançar “com muita caução”.

De acordo com chefe de polícia de Frisco, Mark Piland, o homem que está neste momento internado, visitou o apartamento onde esteve alojado Eric Duncan quando chegou aos EUA – o mesmo onde está agora a família em quarentena – e esteve em contacto com as pessoas que ali moravam.

O oficial em causa foi transportado para o hospital por ambulância após ter acorrido às urgências de uma instalação de cuidados médicos e apresentar “alguns sintomas semelhantes” aos do ébola, conta o jornal britânico. A equipa de cuidados médicos que transportou o doente para a ambulância tinha vestido fatos de proteção.

“Até agora, existem mais questões do que respostas neste caso”, anunciou o hospital, num comunicado à imprensa. O teste para diagnosticar o vírus do ébola demora 48 horas a apresentar resultados.