Poroshenko e Putin voltaram a sentar-se à mesa em Milão esta manhã na cimeira União Europeia – Ásia, mas não estavam sozinhos. Matteo Renzi, anfitrião desta reunião, estava sentado no meio dos dois e Hollande à direita de Putin, enquanto Merkel estava à esquerda do presidente ucraniano. Da reunião não saíram grandes conclusões, mas sabe-se que as negociações entre os dois países vizinhos são positivas, mas difíceis.

Uma reunião de alto nível juntou no mesmo sítio os principais intervenientes da política europeia. Para além dos líderes europeus, Durão Barroso, presidente da Comissão, Herman Van Rompuy, presidente do Conselho Europeu e Federica Mogherini, nova Alta Representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança.

No fim do encontro, Durão Barroso disse à imprensa que tinham saído três compromissos desta ronda de negociações: a verificação efetiva de um cessar-fogo, eleições locais em Donetsk e Luhansk (redutos dos rebeldes pró-russos) devem respeitar as leis ucranianas e um controlo da fronteira entre Rússia e Ucrânia.

O presidente da Comissão disse ainda que espera que esta seja apenas uma das primeiras reuniões entre os dois presidentes, até porque há detalhes a acertar em relação a esses compromissos. “Haverá mais reuniões e nesses encontros é que se vai decidir como implementar estes acordos gerais aqui conseguidos”, disse Barroso segundo avança a agência noticiosa russa RIA.