As infames fotografias de uma Jacqueline Kennedy nua, tiradas numa praia grega, provocaram um tumulto mediático em 1972. Mas, agora, a notícia é outra: a situação poderá ter sido orquestrada pelo marido, o magnata grego Aristotle “Ari” Onassis, com quem Jackie se casou em 1968. O sucedido é descrito como parte de uma campanha de difamação que ambicionava debilitar a imagem da ex-primeira-dama dos Estados Unidos e a revelação é feita pelo autor Christopher Andersen num novo livro dedicado aos Kennedy.

O casamento que durou apenas quatro anos viveu períodos de intensa turbulência, até porque os desacatos entre o casal eram frequentemente publicitados pela imprensa. Além disso, o caso entre Ari e a cantora de ópera nova-iorquina Maria Callas era pouco discreto. A nova biografia defende que Ari Onassis, cansado de ver Jackie a processar os média por invasão de privacidade, terá dado a dez fotógrafos mapas e horários detalhados dos planos da mulher que estaria, então, numa praia em Skorpios, na Grécia. As fotografias chegaram a diversas revistas e jornais em todo o mundo.

A obra The Good Son: JFK Jr. and the Mother He loved (O bom filho: JFK Jr. e a mãe que ele amou, em português) está centrada, tal como o título indica, nas duas personagens e descreve ainda como Ari ridicularizava a mulher, a quem se referia com frequência como “a viúva”. O New York Diaily News avança com a informação e chega a publicar, inclusive, um excerto do livro.

A situação, datada de 1972, foi decisiva para o fim da união, diz o El Mundo. Além disso, era recorrente os meios de comunicação divulgarem imagens de Onassis com Callas sem a mulher estar presente. O marido não mostrava pudor face ao assunto e chegou a afirmar que havia três coisas claras sobre a sua pessoa: que dormia com Callas, com Jacqueline Kennedy e que era muito rico. Mais: quando as cartas privadas de Jackie para Roswell Gilpatric foram descobertas em 1970, incluindo uma escrita dias depois do seu casamento, Onassis jantou com Maria Callas em Paris e avisou os fotógrafos.

Mas esta não é a única revelação a ter em conta. O mesmo livro escreve que John F Kennedy Jr teve uma tórrida relação com a cantora pop Madonna, de quem a mãe, Jackie Onassis, não gostava. E porquê? A estrela havia posado para a capa da Life magazine encarnando a personagem de Marilyn Monroe.

JKF Jr, que foi em tempos considerado o homem mais sexy vivo, terá começado a encontrar-se com a autora do hit musical Material Girl em 1988, depois do colapso do seu casamento com o ator Sean Penn. O New York Daily News tem, igualmente, um excerto do livro sobre o respetivo tema.