Cooperação, entendimento e união. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, mostrou-se sereno no balanço que fez esta quarta-feira, em conferência de imprensa, aos resultados das eleições intercalares vencidas pelos republicanos. E lembrou que o país não pode ficar parado até 2016, ano em que se realizam as eleições presidenciais.

Agora que a oposição republicana domina todo o Congresso americano, depois de as eleições intercalares desta terça-feira lhe ter sido muito favorável, o trabalho fica ainda mais difícil para o presidente nos seus dois últimos anos de mandato. “Tenho a responsabilidade única de fazer com que esta situação funcione”, disse Obama.

“O congresso vai passar algumas leis que não vou poder assinar, e tenho a certeza de que vou tomar medidas que o Congresso não vai gostar, mas podemos encontrar maneiras de concordar e trabalhar juntos”, disse Barack Obama.

O presidente começou por destacar os aspetos positivos atuais da economia americana e os desafios futuros, como aumentar as exportações e encontrar novos mercados. Aspirações “comuns” entre democratas e republicanos, recordou Obama, lembrando ainda três desafios em que vão ter oportunidade de cooperar: a luta contra o ébola, o aumento das forças militares para derrotar o Estado Islâmico e o orçamento.

Mas não vai ser fácil. “O congresso vai passar algumas leis que não vou poder assinar, e tenho a certeza de que vou tomar medidas que o Congresso não vai gostar, mas podemos encontrar maneiras de concordar e trabalhar juntos”, disse. “É tempo de resolver problemas. Há questões que não podem esperar dois anos”, disse. “Continuo a acreditar que não somos apenas um conjunto de Estados vermelhos [republicanos] ou azuis [democratas]. Somos os Estados Unidos da América. Podemos progredir se trabalharmos juntos”.

Partido Republicano foi o grande vencedor das eleições intercalares norte-americanas desta terça-feira. Conseguiu eleger novos governadores, reforçou a representação na Câmara dos Representantes e conquistou a maioria no Senado.

Uma das grandes dificuldades será, certamente, o aumento do salário mínimo, devido à oposição republicana. Obama frisou que esta era uma das medidas do programa que o ajudou a chegar a presidente, disse, antes de partilhar a sua interpretação destas eleições intercalares: a de que se os americanos votaram agora em força nos republicanos, é porque querem que ambos os partidos trabalhem juntos.

O Partido Republicano foi o grande vencedor das eleições intercalares norte-americanas desta terça-feira. Conseguiu eleger novos governadores, reforçou a representação na Câmara dos Representantes e, mais importante ainda, conquistou a maioria no Senado, algo que já não acontecia desde 2006. A primeira leitura dos resultados permite antever a intensificação da oposição republicana (que agora domina todo o Congresso) ao presidente Barack Obama nos seus dois últimos anos de mandato.