O presidente do Parlamento de Timor-Leste, Vicente Guterres, disse esta terça-feira estar disponível para ir a julgamento na sequência da notificação do Ministério Público por alegadas irregularidades num concurso para aquisição de veículos para o hemiciclo em 2008.

“Posso dizer publicamente que estou disposto a ir a julgamento e espero um julgamento justo, imparcial e de acordo com a lei e a Constituição de Timor-Leste”, afirmou Vicente Guterres à agência Lusa no final de um encontro com o Presidente timorense, Taur Matan Ruak.

“Eu gostava que o julgamento fosse transmitido em direto na televisão. Não é todos os dias que um presidente do Parlamento é julgado”, acrescentou.

Vicente Guterres foi notificado há cerca de dois meses pelo Ministério Público por alegadas irregularidades num concurso para aquisição de veículos para o parlamento em 2008, quando assumiu funções de presidente interino do hemiciclo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na altura, era vice-presidente do Parlamento e assumiu funções de presidente interino depois da tentativa de assassínio do chefe de Estado timorense, José Ramos-Horta.

Em 2008, era presidente do Parlamento o atual vice-primeiro-ministro Fernando La Sama de Araújo, que na altura assumiu funções de chefe de Estado durante o impedimento temporário de José Ramos-Horta.