A suspensão da distribuição do número 212 da revista Análise Social foi sexta-feira levantada pelo Conselho Científico do Instituto de Ciências Sociais. O levantamento da suspensão aconteceu por proposta de José Luís Cardoso, o diretor do instituto que tinha ordenado a suspensão por causa de um “ensaio gráfico” que violava as regras editoriais daquela antiga e prestigiada revista académica. Ao colocar esse número da revista em circulação, aquele órgão científico do ICS fez contudo questão de apoio o seu esforço realizado “no sentido de assegurar a qualidade científica da revista Análise Social e também de acautelar riscos de responsabilidade civil associados à publicação do número 212”.

O Conselho Científico do ICS, que é formalmente responsável pela orientação editorial da Análise Social, ouviu o diretor do ICS e o diretor que fora responsável pelo 212 da revista, João Pina Cabral (entretanto, a 23 de setembro, já tinham ocorrido eleições para escolher um novo diretor para aquela publicação, e Pina Cabral não fora reconduzido). Em causa esteve a inclusão, nesse número da Análise Social que era o último sob responsabilidade da equipa de João Pina Cabral, de um conjunto de imagens de grafitti acompanhadas por um pequeno texto de enquadramento. Apresentado como sendo um “ensaio gráfico”, esse artigo violava, na opinião do diretor do ICS, as regras de publicação numa revista académica, reservada por definição a artigos científicos.

A suspensão da Análise Social 212 levou a equipa do diretor cessante a acusar o responsável pelo ICS de censura, até porque aquele “ensaio” se justificaria como forma de “refletir a frustração popular contra o grande capital e as políticas de austeridade em vigor na União Europeia”.

Um dos grafitti reproduzidos no "ensaio visual" do número 212 da revista

Um dos grafitti reproduzidos no “ensaio visual” do número 212 da revista

No comunicado do Conselho Científico há agora uma clara desautorização implícita da equipa que foi responsável pelo número 212 da revista. Primeiro, ao deliberar colocar em circulação esse número, o Conselho Científico sublinha que o seu conteúdo “é da exclusiva responsabilidade do anterior diretor da revista”. Mas vai mais longe: recomenda ao atual diretor, o que foi eleito no passado mês de setembro, “que apresente ao Conselho Científico uma proposta de critérios de publicação de todo o tipo de conteúdos a serem incluídos na revista”. Tudo isto antes de “afirmar a confiança no diretor do ICS, no diretor atual da revista Análise Social e em todos os órgãos democraticamente eleitos do ICS”.