Com uma sondagem recente da SIC a dar 55% dos votos para António Costa nas próximas legislativas, Luís Marques Mendes, no seu espaço de comentário habitual, admitiu que “o PS está destacado” para ganhar, mas acredita que o tabuleiro possa inverter-se caso a “economia cresça e o desemprego continue a baixar”. O comentador volta a pedir uma “remodelação” no Governo e defende a escolha de “um candidato presidencial abrangente e que seja ganhador”.

No seu espaço habitual de comentário na SIC, o ex-presidente do PSD Luís Marques Mendes considera que a questão das taxas turísticas para Lisboa apresentadas esta semana por António Costa, estão a jogar a favor do Governo:”As pessoas já pagavam muitas taxas, agora vão pagar mais taxas”, disse. Segundo o comentador, a intervenção “excêntrica” de Pires de Lima, ministro da Economia, no Parlamento, na semana passada, deixou o orçamento de António Costa sob atenção.

“Do ponto de vista político, foi um erro e um tiro no pé de António Costa”, afirmou. Mas, ainda mais que as taxas turísticas, o anúncio do PS em romper o acordo com o Governo para uma diminuição do IRC pode jogar contra o autarca de Lisboa, considera o comentador político. É um “mau sinal do ponto de vista externo, para os investidores”, disse, afirmando que António Costa está a “fazer o mesmo que António José Seguro”.

Quanto ao surto da bactéria Legionella no concelho de Vila Franca de Xira, Luís Marques Mendes destacou que se trata de um “surto grave”, e lembrou que este já foi considerado o quarto maior surto da história de Legionella no mundo. Elogiou o trabalho de Francisco George, responsável da Direcção Geral de Saúde (DGS), e as intervenções do ministro da Saúde. “O ministro Paulo Macedo esteve muito bem, sempre atento, sem alarmismos”, afirmou.