Em comunicado, a companhia aérea britânica informou que o volume de negócios cresceu 6,3% durante o mesmo período para 5.680 milhões de euros (4.527 milhões de libras).

“A easyJet continua a desenvolver a sua estratégia, tendo alcançado resultados sólido e um lucro recorde”, destacou a diretora executiva Carolyn McCall, citada pela EFE.

A responsável adiantou que a empresa pretende destinar 40% do lucro, mais 10% do que o inicialmente previsto, para o dividendo aos acionistas, o que, considerou, “reflete a confiança no futuro da easyJet”.

Carolyn McCall atribuiu os resultados positivos ao facto da companhia aérea ter as melhores soluções para ligar “os principais aeroportos europeus”, com tarifas “económicas” e um “serviço simpático”.

Até setembro, o número de lugares disponibilizados aumentou 5,1% para 71,5 milhões, com uma taxa de ocupação de 91%, mais 1,3% do que no mesmo período do ano anterior.

Devido ao aumento da sua capacidade, a easyJet tranportou nos últimos doze meses 64,8 milhões de passageiros, um acréscimo de 6,6% em relação ao homólogo, enquanto a tarifa por lugar avançou 1,9% para os 79,39 euros.