O Senado dos Estados Unidos bloqueou hoje uma reforma para pôr fim ao armazenamento de dados telefónicos por parte da Agência de Segurança Nacional, uma proposta que surgiu como consequência das denúncias de Edward Snowden.

A polémica reforma, denominada “USA Freedom Act”, tinha o apoio da Casa Branca e ficou a dois votos dos 60 necessários para avançar para a Câmara Alta, com toda a bancada republicana contra, com exceção de quatro senadores, entre eles Ted Cruz (Texas).

A Câmara dos Representantes aprovou a sua própria versão da reforma em maio, mas não conseguiu apoio suficiente entre os defensores da privacidade.

Por esse motivo, um novo texto retificado chegou ao Senado este verão e conseguiu o apoio de Barack Obama, das principais empresas tecnológicas e da União de Liberdades Civis.

O republicano Mitch McConell foi um dos que se opôs à reforma, alegando que “acabaria com um dos instrumentos chave da nação para compilar informação relevante sobre ameaças terroristas”.