Um turista russo foi multado em 20,000 euros por ter gravado a letra “K” — com 17 centímetros de largura e 25 de altura — numa parede do Coliseu, em Roma. O mais recente ato de vandalismo feito por turistas na estrutura ancestral coube ao homem de 42 anos que foi apanhado em flagrante delito por um guarda que estava de vigia e, consequentemente, condenado a uma pensa suspensa de quatro meses.

Segundo Mariarosaria Barbera, membro da direção do Coliseu, o turista terá causado “danos significativos” e provocado estragos em parte da cobertura do anfiteatro com cerca de 2 mil anos de existência, explica o britânico Daily Mail.

O incidente junta-se a outros atos de vandalismo que têm acontecido no monumento histórico — contam-se cinco só em 2014. Outros casos incluem um pai e filho australianos, de 45 e 12 anos, que rabiscaram os nomes numa parede, além de dois adolescentes — um canadiano que tentou roubar uma pedra e um brasileiro que foi processado por motivos semelhantes. Ambos foram libertados por serem menores.

A situação não tem passado despercebida aos olhos de líderes sindicais que queixam-se da falta de pessoal para monitorizar corretamente os tesouros arqueológicos da cidade, até porque o número de visitantes que ambiciona “marcar” presença em monumentos históricos é cada vez maior e os danos são incalculáveis. Por esse motivo, as autoridades vão aumentar as câmaras de vigilância no local e colocar avisos (áudio e visuais), diz o diário romano Il Messaggero, ciado pelo Daily Mail.

O Coliseu é o maior anfiteatro construído durante o império romano, tem 48,5 metros de altura e recebe mais de seis milhões de visitantes por ano. As tão aguardadas obras de reparação no monumento, que em tempos serviu como palco de lutas sangrentas protagonizadas por gladiadores, começaram em setembro último. A remodelação, financiada pelo bilionário italiano Diego Della Valle, está prevista terminar em 2016.