O que é que caracteriza afinal uma música de Natal? Serão os guizos constantes e ritmados? Será a voz do Sinatra? Ou os coros angelicais recorrentes? Confesso que na minha infância o Natal só era Natal se pela casa ecoasse o CD completo do Coro Infantil de Santo Amaro de Oeiras. Mas desde os anos noventa até aos dias de hoje que o som natalício tem vindo a abranger um leque mais vasto de estilos musicais. Do pop ao punk rock, passando até pelo samba, a lista é imensa, mas a coleção que se segue tem as guitarras do indie e rock alternativo.

Julian Casablancas – I Wish It Was Christmas Today

A voz dos The Strokes lançou-se a solo com um álbum editado em 2009 e como bónus presenteou-nos com uma versão de “I Wish it Was Christmas Today”. A música é um original da quadrilha Horatio Sanz, Jimmy Fallon, Chris Kattan, e Tracy Morgan do ano 2000 para o programa americano Saturday Night Live. O próprio Jimmy Fallon acabaria mais tarde por convidar Julian para tocarem os dois ao vivo durante um episódio do Late Night.

Best Coast e Wavves – Got Something For You

As duas bandas de surf rock juntam forças para um dueto natalício em 2010. A parceria não foi inesperada já que Bethany Cosentino (Best Coast) e Nathan Williams (Wavves) namoravam na altura e acabavam por fazer as suas digressões conjuntamente. O resultado é um som bem característico daquilo que os fãs poderiam esperar: letras simples e românticas, guitarras com reverb e os guizos e sinos como novos ingredientes.

Asobi Seksu – Merry Christmas (I Don’t Want to Fight Tonight)

A banda nova-iorquina de shoegaze quis prestar homenagem ao original dos Ramones e lançou este single no Natal de 2007. Ainda com uma sonoridade próxima do álbum Citrus de 2006 com guitarras que não poupam no overdrive, esta versão acaba por se distanciar dos mais recentes trabalhos da banda que se apresentam embrulhados num dream pop mais suave.

The Raveonettes – The Christmas Song

Em 2008 os The Raveonettes mostram aos fãs que também sabem celebrar a época e lançam o disco Wishing You a Rave Christmas composto por três temas originais e uma versão de “Christmas (Baby Please Come Home)” da Darlene Love. Mas a sua celebração começou cinco anos antes com o single “The Christmas Song”. A música perdurou e é continuamente referenciada a cada Natal, tanto que a banda gravou o vídeo musical em 2011.

The Smashing Pumpkins – Christmastime

Bem na era áurea de Billy Corgan e companhia, quando os singles exaltavam um rock áspero e melancólico, a banda decide oferecer um tema à terceira edição da compilação de beneficência A Very Special Christmas. A voz de Corgan tolda-se a um discurso mais meloso e inesperado, não deixando, contudo, o seu cunho inconfundível.

Death Cab for Cutie – Christmas (Baby Please Come Home)

São inúmeras as versões gravadas ao longo do tempo de “Christmas (Baby Please Come Home)” e os Death Cab for Cutie fazem parte da lista. Em 2004 contribuíram com o seu toque indie rock para a compilação de Natal Maybe This Christmas Tree conjuntamente com temas de bandas como os The Polyphonic Spree e The Raveonettes.

Fiona Apple

Uma versão simples de guitarra acústica e a voz de Fiona a preencher a melodia. A “menina de voz adulta” gravou esta versão em 2003 para a compilação de rock alternativo Christmas Calling. “Frosty the Snowman” foi interpretado pela primeira vez em 1950 por Gene Autry, a mesma pessoa que teria cantado “Rudolph the Red-Nosed Reindeer”, outro tema popular entre os mais jovens, um ano antes.

The Kills – Silent Night

E por falar em versões simples, os The Kills escolheram “Silent Night” como o seu hino de Natal. À semelhança da versão de “Dreams” dos Fleetwood Mac que já teriam interpretado há dois anos, é a voz de Alison Mosshart que dá alma à música. Aqui, os The Kills despem-se do som habitual de guitarra distorcida e caixa de ritmos.

Shonen Knife – Sweet Christmas

A banda japonesa de pop punk já existe deste o início da década de oitenta e em 2011 comemorou os seus trinta anos com o lançamento de um novo single de Natal. O trio já teria demonstrado espírito natalício em 1991 quando presenteou os fãs com o tema “Space Christmas“.

Irene – Christmas on the Beach

Mês de dezembro não é sinónimo de frio e cobertores para toda a gente. Parte dos entusiastas da época são inundados pelo sol e temperaturas altas. Infelizmente os suecos Irene não têm essa sorte e apenas podem ficar a sonhar com uma ida à praia no dia 25.

Guster – ¿Donde Esta Santa Claus?

À primeira vista pode-se estranhar a ideia de ter quatro homens adultos a tocar uma música onde apelam, em espanhol, à sua mamã para que lhes diga onde para o Pai Natal. A verdade é que esta é uma versão de uma música interpretada originalmente por Augie Rios, uma criança de doze anos que viu o seu hit ser lançado em single em 1959.

The Legendary Tigerman – Fuck Christmas, I got the Blues

E como nem toda a gente aprecia a quadra natalícia, o Paulo Furtado sugere que gritemos em uníssono, como o coro de crianças que o apoia no final da música: “Fuck Christmas baby, I got the blues”. Não há guizinhos nem sininhos neste tema. Os riffs da guitarra do Tigerman são acompanhados, como já é habitual, pela melodia da harmónica.

Happy Fangs – All I Want for Christmas is Halloween

Os Happy Fangs provavelmente não hesitariam em juntar-se ao coro do Tigerman. O Natal não tem nada para lhes oferecer e preferiram ficar presos no Dia das Bruxas. A banda de São Francisco gravou este tema original o ano passado precisamente por altura da quadra, mas fica a interrogação sobre em qual das duas festas temáticas o tema terá feito mais sucesso.