O petróleo negociado nos Estados Unidos (WTI) para entrega em fevereiro registou esta segunda-feira uma forte queda, de cerca de 5%, o que colocou o preço do barril abaixo dos 50 dólares, valor que não se verificava desde 2009.

Quase três horas depois da abertura das operações do New York Mercantile Exchange (Nymex), mercado onde é transacionado o petróleo nos EUA, o crude WTI (West Texas Intermediate), a referência no mercado dos Estados Unidos, chegou a cair para o mínimo de 49,95 dólares o barril.

Este nível representa uma queda de 5,2% perante o preço de encerramento da passada sexta-feira.

O preço barril de crude estava acima dos 50 dólares desde o encerramento de 29 de abril de 2009, quando alcançou os 50,97 dólares.

O petróleo WTI terminou o ano passado com um preço de 53,27 dólares, representando uma queda anual de 45,9% e uma redução de 50% desde o máximo anual registado em 2014, a 20 de junho, quando chegou aos 107,26 dólares.

A queda de hoje foi justificada pelos analistas com novos dados sobre o aumento da produção de petróleo na Rússia e o crescimento das exportações de crude no Iraque, no mais alto nível desde 1980.

A estes dados soma-se um excesso na oferta de crude e, no caso dos Estados Unidos, do ‘boom’ do petróleo não convencional.

Depois de tocar no mínimo de 49,95 dólares o barril, o WTI teve uma ligeira recuperação, mas ainda assim encontrava-se com uma perda de 4,6% desde o encerramento da última sessão, na sexta-feira.