Rádio Observador

Ministério Dos Negócios Estrangeiros

Rui Machete fala sobre “êxitos da diplomacia portuguesa” aos diplomatas

O ministro dos Negócios Estrangeiros preside ao fórum anual entre Governo e representantes da diplomacia portuguesa. Durão Barroso é convidado e falará sobre a Europa.

MÁRIO CRUZ/LUSA

O aparecimento do autoproclamado Estado Islâmico, a crise na Ucrânia e a epidemia do ébola são alguns dos temas que o ministro dos Negócios Estrangeiros abordará esta terça-feira na abertura da reunião anual entre o Governo e diplomatas portugueses. Membros do Governo e diplomatas reúnem-se até quarta-feira, em Lisboa, no habitual seminário diplomático, durante o qual são apresentadas as principais prioridades da política externa portuguesa.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, que fará a abertura dos trabalhos, falará ainda referência aos “êxitos da diplomacia portuguesa” no ano passado, entre os quais a eleição de Portugal para o Conselho de Direitos Humanos e para o Conselho Económico e Social das Nações Unidas ou o facto de o país ter assumido a presidência do Comité das Relações Externas da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), disse à agência Lusa fonte oficial do gabinete de Rui Machete.

Estes êxitos atestam a credibilidade da nossa diplomacia e são o reconhecimento internacional da importância que o nosso país atribui ao multilateralismo”, referiu a mesma fonte.

Na sua intervenção, Rui Machete vai ainda salientar a valorização da rede externa (diplomática, consular e comercial, através da AICEP — Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) e do acompanhamento da comunidade portuguesa residente no estrangeiro, em 2015. À semelhança de anos anteriores, o tema do encontro de dois dias é “Projetar Portugal” e o orador convidado é o antigo presidente da Comissão Europeia e ex-primeiro-ministro, José Manuel Durão Barroso, que vai falar, na sessão de abertura, sobre “União Europeia: da crise à recuperação?”.

O encontro inclui, na quarta-feira, um almoço com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e uma audiência com o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

Durante o dia, os diplomatas participam em sessões sobre temas como “A agenda do crescimento verde para a competitividade e criação de emprego”, a “Semana Azul – viver o oceano” (que vai decorrer em Lisboa de 3 a 6 de junho) e “Incentivos ao investimento em Portugal”, com a participação dos ministros do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, da ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, e do ministro da Economia, António Pires de Lima.

Outros painéis incidirão sobre as mudanças no Turismo de Portugal, vinhos nacionais, energia, plataforma 560.pt (para empresários na diáspora) e ainda sobre “Ciência, tecnologia e inovação na diplomacia europeia”, com a participação de Carlos Moedas, comissário europeu para a Investigação, Inovação e Ciência, e antigo secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. No final do dia, o presidente da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros, o deputado socialista Sérgio Sousa Pinto, encerra os trabalhos.

O chefe da diplomacia portuguesa entrega, de seguida, o “Prémio Francisco de Melo e Torres” ao embaixador português na Alemanha, Luís de Almeida Sampaio, uma iniciativa da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa e da Confederação Internacional dos Empresários Portugueses, que distingue o diplomata que se tenha destacado na obtenção no apoio à internacionalização das empresas portuguesas, na captação de investimento estrangeiro e na promoção da imagem de Portugal durante o ano de 2014. Rui Machete dirige depois aos diplomatas umas palavras para concluir o primeiro dia do encontro anual.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Liberalismo

De onde vem a riqueza?

Telmo Ferreira

A riqueza vem das instituições políticas e económicas que permitem uma sociedade pluralista que consiga aproveitar todos os benefícios da liberdade individual e económica.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)