O aparecimento do autoproclamado Estado Islâmico, a crise na Ucrânia e a epidemia do ébola são alguns dos temas que o ministro dos Negócios Estrangeiros abordará esta terça-feira na abertura da reunião anual entre o Governo e diplomatas portugueses. Membros do Governo e diplomatas reúnem-se até quarta-feira, em Lisboa, no habitual seminário diplomático, durante o qual são apresentadas as principais prioridades da política externa portuguesa.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, que fará a abertura dos trabalhos, falará ainda referência aos “êxitos da diplomacia portuguesa” no ano passado, entre os quais a eleição de Portugal para o Conselho de Direitos Humanos e para o Conselho Económico e Social das Nações Unidas ou o facto de o país ter assumido a presidência do Comité das Relações Externas da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), disse à agência Lusa fonte oficial do gabinete de Rui Machete.

“Estes êxitos atestam a credibilidade da nossa diplomacia e são o reconhecimento internacional da importância que o nosso país atribui ao multilateralismo”, referiu a mesma fonte.

Na sua intervenção, Rui Machete vai ainda salientar a valorização da rede externa (diplomática, consular e comercial, através da AICEP — Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) e do acompanhamento da comunidade portuguesa residente no estrangeiro, em 2015. À semelhança de anos anteriores, o tema do encontro de dois dias é “Projetar Portugal” e o orador convidado é o antigo presidente da Comissão Europeia e ex-primeiro-ministro, José Manuel Durão Barroso, que vai falar, na sessão de abertura, sobre “União Europeia: da crise à recuperação?”.

O encontro inclui, na quarta-feira, um almoço com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e uma audiência com o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

Durante o dia, os diplomatas participam em sessões sobre temas como “A agenda do crescimento verde para a competitividade e criação de emprego”, a “Semana Azul – viver o oceano” (que vai decorrer em Lisboa de 3 a 6 de junho) e “Incentivos ao investimento em Portugal”, com a participação dos ministros do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, da ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, e do ministro da Economia, António Pires de Lima.

Outros painéis incidirão sobre as mudanças no Turismo de Portugal, vinhos nacionais, energia, plataforma 560.pt (para empresários na diáspora) e ainda sobre “Ciência, tecnologia e inovação na diplomacia europeia”, com a participação de Carlos Moedas, comissário europeu para a Investigação, Inovação e Ciência, e antigo secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. No final do dia, o presidente da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros, o deputado socialista Sérgio Sousa Pinto, encerra os trabalhos.

O chefe da diplomacia portuguesa entrega, de seguida, o “Prémio Francisco de Melo e Torres” ao embaixador português na Alemanha, Luís de Almeida Sampaio, uma iniciativa da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa e da Confederação Internacional dos Empresários Portugueses, que distingue o diplomata que se tenha destacado na obtenção no apoio à internacionalização das empresas portuguesas, na captação de investimento estrangeiro e na promoção da imagem de Portugal durante o ano de 2014. Rui Machete dirige depois aos diplomatas umas palavras para concluir o primeiro dia do encontro anual.